Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Nanotecnologia

Vírus são detectados em 60 segundos com nanotecnologia e raios laser

Redação do Site Inovação Tecnológica - 20/11/2006

Vírus são detectados em 60 segundos com nanotecnologia e raios laser

Esperar vários dias pelos resultados de exames de laboratório logo será uma coisa do passado. Utilizando a nanotecnologia, uma equipe de pesquisadores da Universidade da Geórgia, Estados Unidos, desenvolveu um equipamento de diagnóstico que consegue detectar vírus tão diferentes quanto os causadores da gripe, HIV e RSV em 60 segundos e até menos.

"Ele economiza de dias até semanas," diz o coordenador da pesquisa, Dr. Ralph Tripp. "Você pode realmente aplicá-lo a uma pessoa descendo do avião e saber se ela está infectada."

A técnica, chamada espectroscopia Raman de superfície aprimorada (SERS), funciona medindo-se a alteração na freqüência de um laser na faixa do infravermelho próximo - a alteração de freqüência é causada quando o laser é refletido por RNA ou DNA virais. A espectroscopia Raman foi descoberta em 1928, e produz uma alteração distinta para cada material, como se fosse uma impressão digital.

Ou seja, o fenômeno é conhecido há muito tempo. Mas, até agora, os cientistas não haviam conseguido aplicá-lo na detecção de vírus porque os sinais gerados são fracos demais.

Agora, o físico Yiping Zhao e o químico Richard Dluhy descobriram como amplificar o sinal gerado quando o vírus causa o espalhamento do laser. Utilizando nanobastões de prata, eles fizeram um trabalho parecido com o de um técnico de TV, que vai virando a antena aos poucos, até conseguir a melhor recepção. No caso dos cientistas, eles descobriram que a maior amplificação é obtida quando os nanobastões ficam inclinados em 86º.

Com o sinal amplificado, agora é possível detectar até vírus individuais, bem como seus subtipos e mutações - vírus que tiveram inserções ou deleções de genes. Além de detectar as doenças, isso significa que os médicos poderão rastrear os vírus até sua origem e descobrir como eles se comportam quando passam de uma população para outra.

Por enquanto o novo dispositivo só foi testado em amostras isoladas de vírus. Agora os cientistas vão começar os testes com amostras biológicas, como sangue, fezes e outros fluidos corporais. Eles criaram uma empresa para começar a buscar fundos para financiar a construção dos primeiros protótipos funcionais.

Os resultados estão sendo tão promissores que os cientistas estão planejando colocar na Internet uma enciclopédia de valores de deslocamentos de freqüência Raman. Com essa informação, um técnico poderá facilmente ajustar o equipamento para um vírus em particular ou detectar um novo vírus.

Bibliografia:

Artigo: Rapid and Sensitive Detection of Respiratory Virus Molecular Signatures Using a Silver Nanorod Array SERS Substrate
Autores: Saratchandra Shanmukh, Les Jones, Jeremy Driskell, Yiping Zhao, Richard Dluhy, Ralph A. Tripp
Revista: Nano Letters
Data: November 08, 2006
Vol.: Volume 6 Issue 11 pp 2630 - 2636
DOI: 10.1021/nl061666f


Outras notícias sobre:
  • Biochips
  • Raios Laser
  • Saúde e Reabilitação
  • Fotônica

Mais tópicos