Mecânica

Jato de água destrói mísseis

Jato de água destrói mísseis

Engenheiros da Universidade Missouri-Rolla (Estados Unidos) estão auxiliando seus companheiros da antiga União Soviética em uma tarefa inusitada: desativar mísseis construídos durante a guerra fria. Os mísseis SS-24 Scalpel são os principais alvos desse esforço conjunto.

Mas o mais inusitado é a tecnologia que será utilizada para desarmar as bombas: jatos d'água. Os pesquisadores da UMR são reconhecidos por sua experiência na utilização de jatos d'água de alta pressão. Essa experiência já foi utilizada inclusive na desativação de minas.

"Nós fomos subcontratados para treinar e supervisionar os ucranianos na avaliação da segurança da tecnologia de jatos d'água para a remoção dos explosivos e propelentes dos mísseis," disse o Dr. Paul Worsey, professor de engenharia de minas e um dos principais pesquisadores do Laboratório de Jatos D'água de Alta Pressão da UMR. Quando o trabalho dos pesquisadores tiver terminado, o trabalho efetivo de desativação dos mísseis deverá consumir ainda mais um ano.

Utilizando um jato d'água especialmente projetado, um operador será capaz de desmontar o míssil de uma distância segura. Depois que o míssil for desarmado, o invólucro será moído. O propelente será então reciclado, sendo misturado com emulsões explosivas e utilizado em minas na Ucrânia. Segudo Worsey, esse método é menos danoso ao meio-ambiente do que a simples queima do combustível do míssil.





Outras notícias sobre:

Mais Temas