Mecânica

Motores dois tempos sem poluição

Motores dois tempos sem poluição

Motores de dois tempos não são exatamente o que se pode chamar de ambientalmente corretos. Embora tenham alta potência, eles consomem muito combustível e, principalmente, liberam um grande volume de gases tóxicos na atmosfera. Esses motores ainda equipam vários modelos de motocicletas, mas são a principal opção quando se trata de moto-serras, tratores de jardinagem e vários outros pequenos utilitários.

Mas essa má fama poderá mudar se uma idéia desenvolvida por pesquisadores de um dos laboratórios do Departamento de Energia dos Estados Unidos, localizado em Idaho, conseguir chegar ao mercado. A inovação é um pequeno separador que remove óleo não queimado e gases da combustão do sistema de exaustão do motor, sem comprometer seu desempenho.

Os motores dois tempos são populares em razão de seu baixo peso, baixo custo, alta potência e respostas rápidas de aceleração. Mas eles possuem uma característica que lhes vale a pecha de "motores sujos": eles exigem a presença de óleo misturado na gasolina para sua lubrificação interna. Durante sua operação, as válvulas de admissão e exaustão ficam momentaneamente abertas ao mesmo tempo, permitindo que um parte do jato de óleo e combustível que entra no cilindro saia diretamente para o cano de escapamento. Essa é a razão do alto consumo de combustível e da "fumaceira" característica desses motores. Entre 25 e 35 por cento do combustível que entra num motor dois tempos sai sem se queimar.

A solução apresentada agora tanto pode equipar motores novos quanto ser adaptada para motores já em operação, no que os engenheiros chamam de "retrofitting" ou atualização tecnológica de equipamentos em uso.

O separador pega o gás saído do motor e o faz girar em alta velocidade, o que efetua uma separação por centrifugação do óleo, gasolina, particulados e dos gases mais leves já resultantes da combustão. Os constituintes mais pesados serão queimados em uma câmara de pós- combustão ou capturados e removidos para reciclagem ou descarte de forma ambientalmente mais aceitável do que simplesmente serem jogados na atmosfera.

Além de possuir um design inovador, o novo separador também inova em sua localização, que pode ser no sistema de exaustão, no escapamento ou em uma combinação dos dois. Ele acaba operando, desta forma, também como um redutor de ruído adicional.

Os fabricantes de equipamentos e motores dois tempos estão em uma verdadeira corrida contra o tempo, em razão das normas crescentemente restritivas no tocante à emissão de poluentes. Isso tem levado até mesmo à substituição por motores quatro tempos, que são menos poluidores, mas mais caros e pesados. Os pesquisadores esperam que a solução possa representar uma saída honrosa para os valentes, mas sujões, motores dois tempos.

Segundo Terry Turner, coordenador da pesquisa, quando produzido em larga escala, o separador poderá chegar ao mercado custando cerca de US$400,00.





Outras notícias sobre:

Mais Temas