Mecânica

Nanotubos de carbono resolvem problema industrial do polipropileno

Nanotubos de carbono resolvem problema industrial do polipropileno

Pesquisadores dos Estados Unidos descobriram que a adição de nanotubos de carbono a um dos polímeros comerciais mais conhecidos, o polipropileno, faz com que o material se comporte de maneira totalmente diferente no processo industrial.

Eles conseguiram eliminar uma das maiores dores de cabeça dos engenheiros industriais, conhecido como espalhamento ("die-swell"), no qual os polímeros se espalham em direções indesajáveis quando passando pela porta de saída de uma extrusora (uma máquina usada para produção contínua de peças plásticas).

Nanotubos de carbono são estruturas microscópicas, medindo 1.000 vezes menos do que a espessura de um fio de cabelo humano. Sua adição, em pequenas quantidades, aumentou a resistência do polipropileno, fazendo com que ele pudesse ser processado em maior velocidade.

Quando forçado entre duas placas, o polímero normalmente tende a separar essas placas. Mas, com a adição de nanotubos de carbono, as placas foram mantidas juntas. Esse efeito elimina completamente o espalhamento ("die-swell"). O controle desse problema no processo industrial é hoje praticamente uma arte, exigindo horas de testes na base da tentativa e erro.

A pesquisa foi feita por cientistas do laboratório governamental norte-americano NIST ("National Institute of Standards and Technology")





Outras notícias sobre:

Mais Temas