Mecânica

Computador de bordo evitará colisões e capotamentos de veículos

Computador de bordo evitará colisões e capotamentos de veículos

Sistemas anticolisão estão entre os sistemas mais pesquisados pelas indústrias de automóveis, na busca de oferecer aos usuários carros cada vez mais seguros.

A equipe do engenheiro Lars Imsland, da Fundação de Pesquisas Industriais e Científicas da Noruega, foi um pouco além, e desenvolveu um sistema completo de suporte ao motorista, capaz de assumir o controle do carro em situações nas quais seria fisicamente impossível a um ser humano reagir de forma adequada e segura.

A pesquisa mostrou-se tão promissora que o novo sistema começará a ser testado em carros da Mercedes-Benz já a partir deste mês de Setembro.

Os veículos mais modernos já possuem uma série de computadores embarcados. O projeto de pesquisa visava justamente desenvolver programas de segurança do veículo, para rodarem nesses computadores. O resultados foram dois programas, um capaz de evitar colisões e outro capaz de evitar capotamentos.

Nos dois programas, o sistema de computador assume o controle do veículo quando é fisicamente impossível ao motorista reagir de forma rápida o suficiente ou de forma adequada a evitar o acidente.

Os programas utilizam dados de sensores que detectam a aceleração do veículo, o ângulo de esterçamento das rodas dianteiras e a velocidade com que cada roda individualmente está girando.

Os dados de todos os sensores são utilizados para se calcular as velocidades para a frente e lateral, assim como a velocidade e a extensão de uma eventual derrapagem.

O cerne do sistema de anticolisão irá consistir de uma câmera e de um radar, que dispararão alertas quando houver um perigo iminente. Mensagens de computador serão enviadas a partir de vários computadores, funcionando de forma integrada, dizendo a cada uma das rodas o quanto elas necessitam frear. Para que estas mensagens sejam corretas, o sistema deve saber com exatidão as velocidades frontal e lateral do veículo.

"Há dois aspectos que distinguem nossa solução dos sistemas já existentes. Nós demonstramos matematicamente que a velocidade estimada é correta. Ao mesmo tempo, nossa solução não exige grande capacidade de processamento, o que significa que carros mais seguros não necessitarão ser mais caros," disse Imsland.





Outras notícias sobre:

Mais Temas