Mecânica

Nova tecnologia contra atropelamentos

Nova tecnologia contra atropelamentos

Salvem os ciclistas

Um novo sistema informatizado alerta o motorista e consegue frear o carro sozinho quando a colisão com uma pessoa ou uma bicicleta for inevitável.

O sistema piloto mostrou bons resultados.

Em poucos anos, quando o preço dos sensores estiver menor, poderá ser mais seguro caminhar ou andar de bicicleta pelas ruas européias.

Várias empresas do setor automobilístico reuniram-se no Projeto Save-U (algo como "salve você mesmo") para desenvolver um sistema tecnológico que alerta o motorista e consegue frear o carro sozinho quando a colisão com uma pessoa ou uma bicicleta for inevitável. Todos os anos na Europa mais de 200 mil pessoas ficam feridas por esse tipo de acidente. Outras 9 mil morrem.

Sob coordenação da francesa Faurecia, o projeto Sensores e sistemas de arquitetura para a proteção de pedestres (Save-U) conta com a participação da Siemens VDO, CEA, DaimlerChrysler, Mira e Volkswagen. Os testes feitos no Reino Unido em veículos Mercedes E Class e Passat mostraram que a tecnologia tem boas condições de ser comercializada.

Zona de captura

No protótipo desenvolvido, os técnicos instalaram aparelho de radar, câmera de vídeo e outra câmera para perceber raios infravermelho, além de vários tipos de sensores.

Em questão de segundos, o sistema calcula o movimento do pedestre e o relaciona com a chamada "zona de captura". Tudo isso para objetos que estejam a pelo menos 30 metros de distância.

Em 2004, a empresa japonesa Honda apresentou um sistema semelhante de visão, mas voltado para detectar pedestres à noite.

Em seguida, as câmeras instaladas no automóvel acompanham o movimento do "corpo" identificado.

Ao correlacionar as informações com a do radar (que fornece a distância e a velocidade), é possível analisar com mais precisão a situação.

O sistema foi programado para simplesmente alertar o motorista ou até mesmo frear o carro automaticamente se não houver outra maneira de escapar do acidente.

Tecnologia pré-colisão

Segundo os cientistas que participaram do desenvolvimento da tecnologia pré-colisão, ela pode funcionar inclusive à noite e nos dias de chuva.

Em termos computacionais, os maiores desafios foram desenvolver um sistema robusto, capaz de acompanhar um ser humano ou uma bicicleta.

Outro desafio é evitar que a plataforma dê alarmes falsos, ou provoque a freada do carro sem necessidade.

Por isso, ainda existe uma distância bem grande, afirmam os técnicos, entre a inovação tecnológica as ruas das cidades européias.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas