Plantão

Mais fundos de apoio a empresas inovadoras

A Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, acaba de aprovar um aporte de R$ 53 milhões para investimentos em seis fundos brasileiros de venture capital: CRP Venture (RS), Novarum (MG), Fir FundoTec II, Dynamo (RJ) e os fundos Stratus VC II e III. Os recursos serão investidos em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. Todos os fundos serão objeto de registro na Comissão de Valores Mobiliários - CVM.

A negociação entre a FINEP e os fundos foi realizada pelo Inovar da FINEP, que já investe no Stratus VC, GP Tecnologia, SPTec e Rio Bravo Investech II, todos voltados para empreendimentos inovadores. No total, a FINEP já comprometeu cerca de R$ 80 milhões em fundos de venture capital.

Com base no fluxo de propostas de investimento em fundos em análise hoje na FINEP, Patrícia Freitas, chefe do Departamento de Investimentos da Financiadora, estima que entre 80 e 100 empresas inovadoras serão beneficiadas nos próximos três anos. "O papel desempenhado pela FINEP na análise dos fundos, que abrange desde a avaliação da capacidade da equipe que administra os recursos até a análise das políticas de investimento do fundo, permite detectar dentre os gestores do mercado aqueles que estão melhor preparados para a alocação eficiente de recursos em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. Ao identificar as organizações que apresentam maiores chances de oferecer resultados favoráveis, conseguimos alinhar o apoio à inovação à boa rentabilidade", afirma Patrícia Freitas.

Os Fundos do Inovar são formados por uma parceria firmada entre a FINEP, o Fundo Multilateral de Investimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID/Fumin, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae e o Fundo de Pensão dos Funcionários da Petrobras - Petros. Os investidores parceiros selecionam juntos os fundos e, em cada caso, decidem se investem individualmente ou conjuntamente. Já foram realizadas cinco chamadas públicas, nas quais o Inovar recebeu 63 propostas, realizou 23 due diligences e aprovou 11 fundos: além dos 4 fundos que estão em fase de investimento, 7 estão em fase de captação.

De acordo com Eduardo da Costa, Superintendente da Área de Pequenas Empresas Inovadoras da FINEP, o investimento em uma empresa inovadora, via capital empreendedor, é singular porque adiciona à empresa, além do capital, a experiência de gestão da administradora, o acesso aos mercados compradores e, em alguns casos, até o reforço de equipe. "Este tipo de investimento em empresas inovadoras está na pauta das ações do Governo Federal", conclui Eduardo.





Outras notícias sobre:

Mais Temas