Robótica

Mão robótica pega bola no ar, em alta velocidade

Mão robótica pega bola no ar

Garra robótica

Se os robôs forem mesmo herdar a Terra, eles deverão ao menos ser capazes de pegar as coisas. É o que afirmam os pesquisadores por trás de um robô que consegue bater o melhor jogador humano de beisebol quando o assunto é capturar uma bola atirada em alta velocidade.

A garra robótica, desenvolvida por cientistas da Universidade de Tóquio, Japão, consegue capturar facilmente uma bola deslocando-se a uma velocidade de 300 quilômetros por hora, ou 83 metros por segundo, afirmam seus criadores. E, é claro, o robô nunca se cansa de fazer isso.

Akio Namiki e seus colegas construíram o robô para testar tecnologias que um dia poderão tornar os robôs úteis em situações onde eles tenham que reagir em altas velocidades.

"A necessidade de uma mão robótica que funcione no mundo real está crescendo," afirmou Namiki à New Scientist. "Um sistema desses deve ser capaz de se adaptar a alterações no seu ambiente e nós achamos que o conceito de movimento de alta velocidade com feedback visual em tempo real irá se tornar um assunto importante na pesquisa de robótica."

Reflexos instantâneos

O robô nem mesmo precisa de uma luva de beisebol. Ele lembra uma garra metálica simples, com apenas três dedos, ao invés dos cinco dedos humanos. Uma matriz de 32 x 48 foto-detectores individuais na sua "palma" acompanha a trajetória da bola que se aproxima em alta velocidade. E uma série de circuitos especializados de processamento de imagens reconhece o movimento quase que instantaneamente.

Uma bola em aproximação aciona os três dedos do robô. Atuadores incorporados em cada junta utilizam um pulso de alta corrente para se mover 180º grau em menos de um décimo de segundo. Isto permite à máquina agarrar a bola no exato segundo em que ela se aproxima.

O robô pode ser visto em ação capturando bolas atiradas de várias direções diferentes por um controlador humano, em um vídeo de demonstração disponibilizado no site do pesquisador (veja link no quadro Para Navegar, abaixo).

Controle de robôs industriais

"É uma tarefa extremamente difícil, uma vez que a bola se move muito rapidamente," afirma Ulrich Nehmzow, um especialista em robótica móvel da Universidade de Essex, Inglaterra.

Ele acrescenta que a velocidade e a precisão do robô vai muito além dos robôs industriais normais. "Se você é capaz de localizar um objeto em movimento de forma tão precisa a ponto de capturá-lo, então levantar coisas é brincadeira de criança," diz ele.

Entretanto, Nehmzow ressalta que é difícil imaginar aplicações práticas para o robô. "Ele é realmente um feito de engenharia," diz ele.

O equipamento ainda não é robusto o suficiente para pegar uma bola de beisebol real e somente foi testado com bolas leves. Mas, em outros testes, ele provou ser capaz de pegar objetos de vários formatos, inclusive cilíndricos.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas