Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Materiais Avançados

Esta borracha até rasga - mas se conserta sozinha

Redação do Site Inovação Tecnológica - 19/05/2020

Esta borracha até rasga - mas se conserta sozinha
Diagrama do comportamento de um produto feito com a borracha que se conserta sozinha.
[Imagem: Flinders University]

Borracha que autoconserta

Imagine uma borracha autorreparável, ou um super adesivo para plásticos e borrachas feito inteiramente de resíduos.

Pesquisadores descobriram um novo tipo de borracha e um catalisador que, juntos, podem ser usados para criar objetos flexíveis, autorreparáveis e mais sustentáveis - incluindo pneus de carros.

A nova borracha é feita com resíduos industriais baratos e abundantes, incluindo enxofre, óleo de canola e diciclopentadieno, um composto usado para fabricar resinas e tintas.

O processo de autoconserto é o inverso da vulcanização, que é o processo de fabricação dos pneus.

Quando o material se rompe, ele se repara e retorna à sua força original em minutos, apenas com a adição do catalisador - e mesmo a temperatura ambiente, dependendo da quantidade do enxofre presente na borracha.

"Este estudo revela um novo conceito no reparo, adesão e reciclagem de borracha sustentável," disse o professor Justin Chalker, da Universidade de Flinders, nos EUA, acrescentando que muitos plásticos, borrachas e cerâmicas não são recicláveis.

"A borracha se liga quando o catalisador de amina é aplicado à superfície. A adesão é mais forte do que muitas colas comerciais. O polímero também é resistente à água e à corrosão," acrescentou Tom Hasell, da Universidade de Liverpool, na Inglaterra.

O catalisador usado para desencadear a reação que faz com que a borracha se autorrepare pode ser de amina (compostos derivados do amoníaco) ou fosfina (hidreto de fósforo).

Entre as aplicações da nova borracha, a equipe cita adesivos latentes, fabricação aditiva (impressão 3D), reparo de polímeros e reciclagem. "Esses polímeros contêm uma rede de polissulfeto dinâmico e reativo que cria muitas oportunidades de processamento, montagem e reparo que não são possíveis com plásticos, borrachas e termofixos tradicionais," escreveu a equipe.

Bibliografia:

Artigo: Chemically induced repair, adhesion, and recycling of polymers made by inverse vulcanization
Autores: Samuel J. Tonkin, Christopher T Gibson, Jonathan Campbell, David A. Lewis, Amir Karton, Tom Hasell, Justin M Chalker
Revista: Chemical Science
DOI: 10.1039/D0SC00855A





Outras notícias sobre:
  • Polímeros
  • Reciclagem e Reaproveitamento
  • Compósitos
  • Veículos

Mais tópicos