Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Eletrônica

Chip gerador de fótons tira computador quântico do laboratório

Redação do Site Inovação Tecnológica - 03/05/2012

Chip gerador de fótons tira computador quântico do laboratório
O chip recebe os fótons e os libera devidamente entrelaçados, sem a necessidade de qualquer outro circuito externo.
[Imagem: UToronto]

Móvel pesado

É cada vez maior o interesse pelos avanços mais recentes da computação quântica, ainda que vários desafios precisem ser superados por esses supercomputadores e seus qubits.

Pois um desses desafios, e um dos grandes, acaba de ser superado.

Os computadores quânticos dependem de fótons individuais para guardar, ler, escrever e transmitir seus dados.

Ocorre que produzir e controlar fótons individuais - essencialmente a menor unidade de energia - é complexo, demorado e exige um aparato de laboratório virtualmente à prova de vibrações.

Uma mesa de granito de meio metro de espessura e algumas dezenas de toneladas é bom o suficiente.

Mas não seria o móvel mais adequado para colocar em sua casa quando chegar o dia em que você poderá comprar seu PC quântico.

Tecnologias quânticas

Agora, a equipe do professor Amr Helmy, da Universidade de Toronto, no Canadá, acaba de dar vida nova à sua velha escrivaninha de MDF.

Eles criaram um dispositivo eletrônico integrado - um chip, para resumir - capaz não apenas de produzir fótons individuais, mas de produzi-los já entrelaçados.

O entrelaçamento permite que duas ou mais partículas compartilhem suas propriedades mesmo sem qualquer ligação física entre elas.

O que hoje exige a tal mesa de granito e um não menos volumoso conjunto de lentes e espelhos finamente ajustados agora pode ser gerado inteiramente dentro de um único chip.

"Nosso trabalho abre a possibilidade de levar o potencial das poderosas e ainda subutilizadas tecnologias quânticas para os produtos comerciais, fora dos laboratórios," afirmou o professor Helmy.

Fotônica integrada

Outra equipe apresentou recentemente um equipamento similar, que eles chamaram de chip fotônico quântico multiuso.

Mas o chip do professor Helmy tem a vantagem de ser um chip mesmo, no sentido tradicional do termo, permitindo a conexão de outros componentes e a interligação dos fótons produzidos com outros equipamentos.

Isto torna possível ter todos os equipamentos tradicionalmente existentes em um laboratório dentro do mesmo chip.

E colocá-los lá é a próxima meta da equipe.

Bibliografia:

Artigo: Monolithic Source of Photon Pairs
Autores: Rolf Horn, Payam Abolghasem, Bhavin J. Bijlani, Dongpeng Kang, A. S. Helmy, Gregor Weihs
Revista: Physical Review Letters
Vol.: 108, 153605
DOI: 10.1103/PhysRevLett.108.153605






Outras notícias sobre:
  • Computação Quântica
  • Fotônica
  • Processadores
  • Raios Laser

Mais tópicos