Plantão

Duas novas empresas vão fabricar semicondutores no Brasil

Semicondutores no Brasil

Mais duas empresas foram autorizadas produzir componentes semicondutores no Brasil.

A iniciativa está prevista no Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis), que pretende incentivar a pesquisa e o desenvolvimento de etapas de montagem e fabricação de circuitos integrados.

Até o momento, seis empresas possuem projetos contemplados pelo programa. Quatro já estão em produção - Ceitec Associação Civil, SiliconReef, Smart e Flex IC e duas deverão começar a produzir em 2013 - CBS e HT.

As autorizações para os novos projetos de semicondutores habilitam as empresas "Smart Modular Technologies Indústria de Componentes Eletrônicos" e "Flex IC Indústria Eletrônica" a realizar atividades de pesquisa e desenvolvimento.

A Smart Modular, que já fabrica cartões de memória Micro SD e Micro SDHC, e USB flash drive (UFD) - os chamados pendrives - agora passará a contar com os incentivos do governo.

A empresa Flex IC está habilitada para fabricar circuitos integrados híbridos - amplificadores e sensores - para aplicações automotivas, com uma tecnologia chamada filme espesso.

Política para semicondutores

O Padis possui uma política específica para o setor de componentes eletrônicos, reduzindo a zero as alíquotas referentes ao PIS, Cofins e IPI.

O coordenador-geral de Microeletrônica, da Secretaria de Políticas da Informática (Sepin), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Henrique de Oliveira Miguel, lembra que o intuito do programa é incentivar a produção de componentes eletrônicos ainda inexistentes no país, gerando benefícios fiscais.

"O programa objetiva atrair investimentos em pesquisa e desenvolvimento de semicondutores e monitores e, em contrapartida, a atividade produtiva das etapas de projeto de circuitos integrados [design], front-end [fabricação] e back-end [encapsulamento] das empresas poderá se beneficiar de incentivos," explicou Henrique de Oliveira Miguel, do MCTI.

A expectativa é que com os novos produtos as exportações de semicondutores e monitores produzidos no Brasil aumentem 10% em 2012.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas