Mecânica

Liga metálica tem propriedade refrigerante

Liga metálica tem propriedade refrigerante
A estranha liga intermetálica tem uma capacidade de mudar de temperatura sob ação da pressão e de campos magnéticos. [Imagem: UB]

Efeito barocalórico inverso

Pesquisadores espanhois identificaram um novo material que apresenta um efeito barocalórico inverso a temperatura ambiente.

Isto significa que o material esfria que é submetido a uma pressão, ao contrário de quase todos os materiais que se conhece até agora.

E é característica forte, com grande potencial de aproveitamento tecnológico - a a temperatura da liga cai 1º C para cada 1 kbar de pressão aplicada.

Isto coloca coloca material como a opção mais promissora para a refrigeração de estado sólido.

Geladeiras de estado sólido

O efeito barocalórico - uma alteração na temperatura de um material produzida pela aplicação de pressão hidrostática - tem alimentado as promessas de geladeiras de estado sólido, sem motores, compressores e sem gases refrigerantes danosos ao meio ambiente.

A maioria dos objetos aquece quando é colocado sob pressão, o que é condizente com a noção genérica de átomos agitando-se mais quando ficam mais próximos entre si.

Mas a nova liga, um composto intermetálico de lantânio, ferro, silício e cobalto (La-Fe-Si-Co) tem o comportamento inverso, esfriando-se drasticamente quando pressionado.

Isto pode torná-lo útil não apenas em refrigeração, mas também em sistemas de colheita de energia.

Transição de fase

O efeito barocalórico inverso é criado por uma transição de fase no material abaixo de uma temperatura limite, o que leva a mudanças nas suas propriedades estruturais e magnéticas.

Já se sabia que essa liga era magnetocalórica - muda de temperatura sob a ação de um campo magnético - mas só agora a nova característica foi observada.

Bibliografia:

Inverse barocaloric effect in the giant magnetocaloric La-Fe-Si-Co compound.
Lluís Mañosa, David González-Alonso, Antoni Planes, Maria Barrio, Josep-Lluís Tamarit, Ivan S. Titov, Mehmet Acet, Amitava Bhattacharyya, Subham Majumdar
Nature Communications
Vol.: 2: 595
DOI: 10.1038/ncomms1606




Outras notícias sobre:

    Mais Temas