Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Lugar mais profundo nos continentes da Terra fica na Antártida

Com informações da BBC - 13/12/2019

Lugar mais profundo nos continentes da Terra fica na Antártida
O solo na Antártica, embaixo da geleira Denman, mergulha 3,5 km abaixo do nível do mar.
[Imagem: Mathieu Morlighem et al. - 10.1038/s41561-019-0510-8]

Terra profunda

O ponto mais profundo da Terra continental foi identificado na Antártida Oriental, sob a Geleira Denman.

Este cânion de gelo atinge 3,5 km abaixo do nível do mar. Somente no oceano os vales são ainda mais profundos. Para comparação, a área "mais baixa" na Terra, na costa do Mar Morto, fica a apenas 413 metros abaixo do nível do mar.

A descoberta é ilustrada em um novo mapa da Antártida que revela a forma da rocha sob a camada de gelo em um nível de detalhes sem precedentes.

Suas características serão críticas para a nossa compreensão de como o sul polar pode mudar no futuro. O mapeamento inédito mostra, por exemplo, áreas que não eram conhecidas e que impedirão o recuo de geleiras derretidas em um mundo em aquecimento e, por outro lado, vários terrenos regulares e inclinados que poderiam acelerar a diminuição das áreas congeladas permanentemente.

"Este é sem dúvida o retrato mais preciso até agora do que está embaixo do manto de gelo da Antártica", disse Mathieu Morlighem, pesquisador da Universidade da Califórnia que trabalha há seis anos no projeto BedMachine Antarctica.

Canyon mais profundo da Terra

Durante décadas, os instrumentos de radar têm sido usados na Antártida, enviando pulsos de ondas para espiar através do gelo e traçar a topografia rochosa por baixo. Mas ainda existem vastas áreas para as quais há pouco ou nenhum dado.

A solução do projeto BedMachine Antarctica tem sido usar a física da conservação de massa para tapar esses buracos. Por exemplo, se é sabido quanto gelo está entrando em um vale estreito e quão rápido ele está se movendo, o volume desse gelo pode ser calculado, fornecendo uma visão da profundidade e da aspereza do fundo oculto do vale.

Para a geleira Denman, com 20 km de largura, que flui em direção ao oceano na porção de terra Queen Mary, essa abordagem revela que o gelo desce para mais de 3.500 metros abaixo do nível do mar.

"O vale é tão profundo que você recebe ecos laterais das paredes do vale e eles tornam impossível detectar o reflexo do leito real da geleira [por meio do radar]", disse Morlighem.

Para comparação, o ponto mais profundo do oceano - na Fossa das Marianas, no oeste do Pacífico - fica apenas 11 km abaixo da superfície do fundo do mar. Existem canyons de terra que podem ser descritos como tendo paredes laterais mais altas, como o Yarlung Tsangpo Grand Canyon na China, mas seus pisos estão acima do nível do mar.

Bibliografia:

Artigo: Deep glacial troughs and stabilizing ridges unveiled beneath the margins of the Antarctic ice sheet
Autores: Mathieu Morlighem, Eric Rignot, Tobias Binder, Donald Blankenship, Reinhard Drews, Graeme Eagles, Olaf Eisen, Fausto Ferraccioli, René Forsberg, Peter Fretwell, Vikram Goel, Jamin S. Greenbaum, Hilmar Gudmundsson, Jingxue Guo, Veit Helm, Coen Hofstede, Ian Howat, Angelika Humbert, Wilfried Jokat, Nanna B. Karlsson, Won Sang Lee, Kenichi Matsuoka, Romain Millan, Jeremie Mouginot, John Paden, Frank Pattyn, Jason Roberts, Sebastian Rosier, Antonia Ruppel, Helene Seroussi, Emma C. Smith, Daniel Steinhage, Bo Sun, Michiel R. van den Broeke, Tas D. van Ommen, Melchior van Wessem, Duncan A. Young
Revista: Nature Geoscience
DOI: 10.1038/s41561-019-0510-8






Outras notícias sobre:
  • Monitoramento Ambiental
  • Satélites Artificiais
  • Refrigeração
  • Mineração

Mais tópicos