Nanotecnologia

Microscópio usa espelho para revelar interior de amostras biológicas

Microscópio usa espelho para revelar interior de amostras biológicas
Espelho feito com nanopartículas de prata, que está ajudando a criar uma nova técnica de microscopia a laser.[Imagem: John Lupton, University of Utah]

Usando um espelho feito com nanopartículas de prata, cientistas descobriram como fazer com que os microscópios revelem as estruturas internas de praticamente qualquer tipo de material biológico opaco, de células tumorais e ossos às escamas iridescentes do "besouro fotônico".

Compreendendo o besouro

Em junho de 2008, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, descobriu que as escamas de um besouro brasileiro poderiam servir de inspiração para a construção de dispositivos ópticos inéditos - veja Besouro brasileiro tem a chave para computadores ópticos do futuro.

Em busca de compreenderem melhor a estrutura interna das escamas do Lamprocyphus augustus, de forma a poderem reproduzir suas características em materiais artificiais, abrindo caminho inclusive para a construção de computadores ópticos, os cientistas tiveram que desenvolver uma nova tecnologia de microscopia.

Microscópios a laser

A nova técnica de visualização envolve uma área conhecida como microscopia de fluorescência ou microscopia a laser, na qual um raio laser é utilizado para fazer com que a amostra emita luz, seja porque ela emite luz naturalmente, seja como efeito da reflexão de corantes fluorescentes previamente injetados.

A grande limitação dessa técnica é que os corantes fluorescentes, quando excitados pelo laser, emitem compostos químicos tóxicos, matando as células vivas. Isso inibe sua utilização para a observação de amostras biológicas.

Espelho de prata

O novo método utiliza um espelho, colocado por baixo da amostra, que reflete a luz de um feixe de laser infravermelho.

A luz do laser excita as nanopartículas de prata do espelho, criando fontes de plasmons que funcionam como se fossem faróis, disparando feixes altamente focalizados de luz branca através da amostra que está sendo analisada.

O microscópio capta a luz transmitida através da amostra. Como a fonte de luz é conhecida com precisão, os cientistas podem obter informações detalhadas sobre o interior do material biológico por meio da análise do espectro que consegue atravessar a substância.

O método também poderá ser utilizado para detectar fadigas em materiais como as fibras de carbono, utilizadas na construção da fuselagem dos aviões mais modernos, assim como em qualquer outro material amorfo.

Bibliografia:

Toward Subdiffraction Transmission Microscopy of Diffuse Materials with Silver Nanoparticle White-Light Beacons
Debansu Chaudhuri, Jeremy W. Galusha, Manfred J. Walter, Nicholas J. Borys, Michael H. Bartl, John M. Lupton
Nano Letters
Vol.: 9 (3), pp 952-956
DOI: 10.1021/nl802819n




Outras notícias sobre:

    Mais Temas