Robótica

Nanofábrica monta menor casa do mundo

Nanofábrica monta menor casa do mundo
As peças são fabricadas em nanoescala (nanômetros) que, depois de montadas, criam uma casa em microescala (micrômetros).[Imagem: Jean-Yves Raucha et al. - 10.1116/1.5020128]

Nanofábrica

Esta é a menor casa do mundo, e foi construída para demonstrar um novo sistema de construção robótica em micro e nano-escalas que promete ampliar as capacidades de diversas nanotecnologias.

"Pela primeira vez conseguimos fabricar e montar padrões com menos de 2 nanômetros de precisão, o que é um resultado muito importante para a comunidade robótica e óptica," disse Jean-Yves Rauch, do Instituto Femto-ST, na França.

A plataforma é uma autêntica nanofábrica, batizada de µRobotex, que mescla diversas tecnologias, a maior parte delas derivadas da microeletrônica usada na fabricação de chips, para construir componentes ultraminiaturizados.

Fabricar componentes individuais já era possível, mas a nanofábrica é a primeira plataforma a permitir a montagem automatizada e com precisão de peças construídas individualmente, permitindo mesclar componentes de tecnologias diferentes.

A microcasa, por exemplo, foi construída na seção de uma fibra óptica, demonstrando que elementos sensores dos mais diversos tipos, ultraminiaturizados, podem ser instalados nas pontas dessas fibras.

E essas fibras ópticas "sensoriais", mais finas do que um fio de cabelo humano, poderão ser inseridas em locais inacessíveis, de motores a jato a vasos sanguíneos, para detectar níveis de radiação ou vírus.

E a equipe não está satisfeita. A seguir eles pretendem usar a nanofábrica para construir estruturas ainda menores e posicioná-las em nanotubos de carbono, que tipicamente medem de 20 a 100 nanômetros de diâmetro.

Bibliografia:

Smallest microhouse in the world, assembled on the facet of an optical fiber by origami and welded in the µRobotex nanofactory
Jean-Yves Raucha, Olivier Lehmann, Patrick Rougeot, Joel Abadie, Joel Agnus, Alain Savary, Miguel. Angel Suarez
Journal of Vacuum Science & Technology A
Vol.: 36, 041601
DOI: 10.1116/1.5020128




Outras notícias sobre:

    Mais Temas