Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Nanotecnologia

Criado primeiro nanolaser de estado líquido

Redação do Site Inovação Tecnológica - 06/05/2015

Nanolaser líquido
Esquema (esquerda) e foto do protótipo do nanolaser de estado líquido (direita).
[Imagem: 10.1038/ncomms7939]

Nanolaser

Engenheiros da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, construíram o primeiro nanolaser líquido.

E o nanolaser é ajustável em tempo real, o que significa que é possível gerar diferentes cores a partir do mesmo dispositivo.

Os nanolasers - os de estado sólido - são as estrelas das novas tecnologias da computação feita com luz, em vez de eletricidade.

Já um nanolaser de estado líquido, também conhecido como laser aleatório, deverá fazer a diferença no interior de outro tipo de chip, os biochips, ou microlaboratórios, onde a luz é utilizada para analisar amostras biológicas e realizar exames médicos.

A possibilidade de variar rapidamente a cor do laser permitirá a realização de sequências de análises, visando diferentes características das amostras.

Além disso, o nanolaser líquido funciona a temperatura ambiente, é simples e deverá ser fabricado a um custo muito baixo.

Nanolaser líquido
A cor da luz emitida pelo laser é controlada pelo corante líquido que representa seu meio de amplificação da luz.
[Imagem: 10.1038/ncomms7939]

Laser líquido

A cavidade que gera a luz laser é constituída por uma matriz de nanopartículas de ouro, onde a luz é concentrada em torno de cada nanopartícula e, em seguida, amplificada - os lasers convencionais usam espelhos para que a luz fique "presa", quando então ela é amplificada.

O "meio de ganho" do nanolaser líquido - responsável pela amplificação da luz - é um corante líquido, cuja alteração permite a variação da cor da luz laser emitida, não sendo necessário mexer com as nanopartículas.

Tecnicamente, trata-se de um laser de plásmons de superfície, ondas que "flutuam" na superfície de um metal - nesse caso, das nanopartículas de ouro.

Embora já existam lasers plasmônicos capazes de emitir luz em largas faixas espectrais, do ultravioleta ao infravermelho próximo, esta é a primeira vez que a emissão pode ser controlada em tempo real.

Bibliografia:

Artigo: Real-time tunable lasing from plasmonic nanocavity arrays
Autores: Ankun Yang, Thang B. Hoang, Montacer Dridi, Claire Deeb, Maiken H. Mikkelsen, George C. Schatz, Teri W. Odom
Revista: Nature Communications
Vol.: 6, Article number: 6939
DOI: 10.1038/ncomms7939






Outras notícias sobre:
  • Raios Laser
  • Biochips
  • Fotônica
  • Spintrônica

Mais tópicos