Meio ambiente

Novos compostos dissolvem ouro a temperatura ambiente

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/05/2019

Novos compostos dissolvem ouro de minérios e lixo eletrônico
Os esforços nesta área vinham-se concentrando sobretudo na biomineração, que usa bactérias e fungos para extrair metais, inclusive de placas de circuito impresso.[Imagem: Unesp Ciência]

Extrair ouro dos eletrônicos

Os contatos elétricos das memórias, dos processadores e de vários outros componentes usados nos computadores, celulares e outros aparelhos eletrônicos são feitos de ouro para garantir um funcionamento preciso e proteção contra corrosão, que poderia fazer esses aparelhos pararem de funcionar rapidamente se fossem usados outros metais, que são suscetíveis à oxidação.

Com tanto lixo eletrônico se acumulando pelo mundo, tem havido um crescente interesse em "minerar" esse metal precioso nas pilhas de sucata.

O problema é que isso consome muita energia porque todo o lixo eletrônico deve ser derretido ou congelado para que seus componentes sejam extraídos.

Poli-pseudo-halogênios

A boa notícia é que tudo poderá ser feito de maneira mais simples a partir de agora, graças ao trabalho de Sebastian Riedel, da Universidade Livre de Berlim, na Alemanha.

Riedel sintetizou dois novos compostos poli-pseudo-halogênios que apresentaram a propriedade inusitada de dissolver ouro a temperatura ambiente, assim como a água dissolve o açúcar.

A descoberta promete viabilizar a criação de produtos químicos mais seguros não apenas para recuperar e reciclar o metal nobre do lixo eletrônico, mas também para serem usados na lixiviação de ouro e outros metais nobres do minério bruto extraído das minas - a mineração de ouro hoje usa um processo baseado no cianeto, um composto extremamente tóxico.

A química dos poli-halogênios tem sido objeto de grande interesse nos últimos anos. No entanto, devido à sua alta instabilidade, volatilidade e síntese problemática, muito menos atenção tem sido dada aos poli-pseudo-halogênios, que são compostos de pseudo-halogênio que essencialmente imitam os halogênios em sua química, enquanto também possuem íons de poli-halogênio - eles pertencem à classe dos líquidos iônicos.

Lixiviação do ouro

Partindo do composto brometo de cianogênio, que é volátil e altamente tóxico, Riedel conseguiu sintetizar e caracterizar dois novos ânions capazes de dissolver o ouro - [PNP][Br(BrCN)] e [PNP][Br(BrCN)3]. Embora não possam ser chamados de ambientalmente amigáveis, os dois compostos são 10 vezes menos voláteis do que seu precursor e a lixiviação do ouro funciona em condições ambiente.

"Sabíamos que o brometo de cianogênio era usado em alguns dos processos mais antigos para dissolver o ouro do minério triturado. Com nossos novos compostos, pode ser possível simplificar o processo de lixiviação de ouro usando líquidos iônicos à temperatura ambiente," disse Benjamin Schmidt, membro da equipe.

Bibliografia:

From Polyhalides to Polypseudohalides: Chemistry Based on Cyanogen Bromide
Sebastian Hasenstab-Riedel, Benjamin Schmidt, Benjamin Schröder, Karsten Sonnenberg, Simon Steinhauer
Angewandte Chemie
DOI: 10.1002/ange.201903539




Outras notícias sobre:

    Mais Temas