Eletrônica

Materiais cristalinos poderão resultar em TV 3D e computadores ultra-rápidos

Em um avanço que poderá fazer pela televisão e pelo computador o que o transístor fez pela eletrônica, uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia (Estados Unidos) criaram uma forma de dirigir a ação molecular de materiais cristalinos, fazendo com que apresentem propriedades tanto de sólidos quanto de líquidos.

Isso significa que, em menos de uma década, as pessoas poderão se sentar a assistir a imagens com aparência de sólidos, projetadas a partir de um equipamento parecido com uma TV. Isto para não mencionar os computadores óticos, que poderão ser talvez um milhão de vezes mais rápidos e guardar um bilhão de vezes mais dados.

A pesquisa se baseia na possibilidade de que a informação e as imagens reveladas pela luz passando através desses materiais cristalinos podem assumir virtualmente qualquer formato, ou uma série de formatos, um após o outro, e muito rapidamente.

Partes dos cristais podem ser iluminados, escurecidos ou mudar de cor quase instantaneamente, em bilionésimos de segundo, na presença de campos eletro-magnéticos que controlam o desenho tridimensional.

Além de tornar possível a TV 3D, as moléculas de cristal sólido podem agir como chaves ultra-rápidas em computadores óticos. Empilhadas em um cubo de algumas polegadas, elas poderão prover um potencial de armazenamento sem precedentes, talvez de bilhões de vezes mais do que os HD atuais. A velocidade de acesso será dramaticamente mais rápida do que é possível com os atuais circuitos de computadores.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas