Energia

Baterias recarregáveis até cem vezes mais eficientes

Redação do Site Inovação Tecnológica - 15/04/2002

As empresa Ntera (EUA) e Altair Nanotechnologies (Irlanda) anunciaram que já dispõem de titanato de lítio nanoparticulado para utilização em baterias recarregáveis. A utilização em laboratório já havia sido testada, mas é a primeira vez que o produto é colocado em disponibilidade comercial.

A atuação conjunta das duas empresas une a capacidade de produção de nanoestruturas puras, da Altair, e a "expertise" na aplicação de nanomateriais em baterias, da NTera. As duas empresas acreditam estar viabilizando a construção de veículos híbridos gasolina/elétricos, na medida em que as baterias de lítio se tornarão mais eficientes e mais baratas do que são hoje. As baterias recarregáveis de lítio são as maiores concorrentes das tradicionais baterias chumbo-ácidas hoje utilizadas nos automóveis.

As principais aplicações para as baterias de lítio hoje são os computadores portáteis e telefones celulares.

Segundo Justin Adams, gerente da área de baterias da NTera, a empresa está construindo protótipos de baterias que utilizam óxidos de lítio nanocristalinos tanto no anodo como no catodo. O material, já patenteado, foi resultado de pesquisas feitas na Ecole Polytechnique de Lausanne (França) e no J Heyrovsky Institute (República Tcheca). O porta voz da empresa afirmou que ambas as empresas acreditam ter patenteado a faixa ótima de tamanho das partículas para os materiais a serem utilizados na construção de baterias de lítio.

O material em questão é o titanato de lítio nanocristalino (Li4Ti5O12), agora colocado no mercado por cerca de US$100 a libra-peso (454 gramas). O preço praticado atualmente no mercado, mas apenas em quantidades para pesquisas (cerca de 10 Kg), é de US$455,00 a libra-peso. A empresa Altair afirma que seu material apresenta taxas de carga e descarga cerca de cem vezes mais altas do que o material hoje utilizado nas baterias recarregáveis. Mas a maior novidade, sempre segundo a empresa, é que baterias feitas com o titanato de lítio nanocristalino podem se recarregar em menos do que um minuto, além de permitir milhares de ciclos de carga e descarga.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas