Nanotecnologia

Energia para nanodispositivos

Que os nanodispositivos desempenharão papel crucial na tecnologia nos próximos anos ninguém mais duvida. Isso tem colocado uma série de questões a serem resolvidas pelos cientistas. A principal delas é como garantir energia para que esses minúsculos aparelhos possam funcionar.

O pesquisador Hermann Gaub, da Universidade Ludwig-Maximilians em Munique (Alemanha), demonstrou um método interessante de prover energia mecânica para um dispositivo dessa dimensão. O trabalho baseou-se em experimentos com uma molécula de azobenzeno. Essa molécula já é bem conhecida, sendo inclusive utilizada em alguns processos produtivos. Ela tem a interessante capacidade de mudar de configuração quando submetida à luz. O azobenzeno é uma molécula em cadeia, com uma porção lateral. Essa porção lateral pode assumir duas configurações, sendo uma significativamente mais longa do que a outra. Quando a molécula recebe luz, a porção lateral muda sua configuração, alterando, portanto, seu comprimento.

O trabalho do Dr. Hermann, ao contrário de trabalhar com grandes volumes de azobenzeno, focou-se numa única molécula. Ao iluminá-la com luz violeta, no espectro visível, ela conseguiu mover um pequeno peso, ao se esticar em cerca de 1,4 nanometros. Iluminando-a, a seguir, com luz ultravioleta, a molécula novamente se comprimiu. A experiência mostrou que a molécula é capaz de gerar uma força de até 500 pN.

O processo ainda não é eficiente, mas os pesquisadores irão agora dedicar-se a criar um dispositivo totalmente movido pela molécula.





Outras notícias sobre:

Mais Temas