Mecânica

Sensor detecta corrosão em gasodutos

Sensor detecta corrosão em gasodutos

Um novo tipo de sensor, batizado de "sensor de estrutura adaptável", detecta de forma rápida e barata a ocorrência de furos e deterioração em gasodutos. O protótipo acaba de passar pelos testes finais, estando quase pronto para a fase de comercialização. Em comparação com os métodos tradicionais, todos manuais, o novo sensor coleta dados e efetua medições de forma automatizada e computadorizada.

A corrosão em gasodutos resulta da ação da água, da condensação e de danos à cobertura protetora dos dutos e das juntas. A ferrugem pode se estender pelo interior dos canos, fora do alcance da visão de inspetores humanos. Detectar e medir a extensão da corrosão é crucial para determinar a durabilidade e a vida útil esperada dos dutos.

O sensor adaptável é flexível, medindo cerca de 15 centímetros quadrados. Duas placas de circuito impresso rígidas, medindo cerca de 7,5 por 15 centímetros, são ligadas em lados opostos do sensor, resultando em unidades operacionais retangulares de 15 x 30 centímetros.

A unidade, rústica o suficiente para ser utilizada em campo, deve ser movida ao longo da circunferência do duto, até tirar uma imagem de toda a área. Os dados são transmitidos para o computador em tempo real, que efetua a análise dos danos causados pela corrosão e emite uma avaliação, determinando se o duto deve ser consertado, substituído ou apenas monitorado.

Os métodos tradicionais exigem que o cano seja lixado para que a extensão da ferrugem possa ser medida. Além de demorado, esse método depende também do julgamento do técnico, julgamento este que varia de profissional para profissional, além de estar sujeito a erros de avaliação.

O novo sensor adaptável efetua a medição automaticamente, aumentando a precisão e eliminando a necessidade de interpretação.

O sensor de estrutura adaptável efetuou medições precisas da corrosão no exterior de dutos de gás natural, durante testes conduzidos pelo Instituto de Pesquisas do Sudoeste (SwRI) e do Departamento de Energia dos Estados Unidos.





Outras notícias sobre:

Mais Temas