Mecânica

Imagens termais de infravermelho substituem martelamento

Imagens termais de infravermelho substituem martelamento

Lâminas de rotores para turbinas de vento, utilizadas na geração de energia eólica, são hoje fabricadas como o eram há várias décadas. Camada por camada, a fibra de vidro é laminada manualmente com resina epóxi ou outro adesivo. As pás, medindo até 60 metros de comprimento, são então juntadas para formar as turbinas.

As pás são reforçadas internamente com vigas, para que consigam resistir à força dos ventos que deverá movimentá-las. Aí é que começam os problemas: a verificação de defeitos de construção tem quer ser feita manualmente. E da maneira mais prosaica possível: um trabalhador, munido de um martelo, vai martelando a estrutura em busca de fragilidades.

Agora engenheiros do Fraunhofer Institute for Wood Research (Alemanha), desenvolveram um método que poderá significar o fim dessa tarefa tediosa e pouco precisa.

O físico Peter Meinlschmidt e sua equipe adaptaram uma técnica de imageamento termal, desenvolvida originalmente para testes de qualidade em pisos laminados, que poderá ser utilizada para a inspeção de defeitos nas turbinas de vento.

"Primeiro nós utilizamos uma fonte de calor radiante, montada sobre uma plataforma móvel, para aquecer uma lâmina de rotor ou uma prancha. Então uma câmera de infravermelho grava uma série de imagens termais da superfície. Após uma análise computadorizada, as imagens mostradas no monitor revelam defeitos tais como bolhas, inclusões, rachaduras e falhas na colagem medindo acima de um centímetro de diâmetro." explica o Dr. Meinlschmidt.

Vários metros quadrados de material podem ser analisados em pouco mais de um minuto. Os pesquisadores estão agora procurando por parceiros na indústria para transformar o método em um sistema de inspeção totalmente automatizado.





Outras notícias sobre:

Mais Temas