Plantão

Ministro quer pensar política de C&T para o futuro

O Ministério da Ciência e Tecnologia deverá definir agora uma política tecnológica para o Brasil no futuro. Um dos principais investimentos para isso deve ser na formação de cientistas, cujo prazo de maturação é de 14 anos.

Segundo informações publicadas pela Agência Brasil, como forma de incentivo, o MCT pretende adotar uma política de bolsas em âmbito federal, desenvolvida pelo CNPQ - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - (órgão ligado ao MCT) e Capes - Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior-, do Ministério da Educação.

O ministro Roberto Amaral salientou que o Ministério terá duas áreas: uma voltada para pensar o amanhã e outra para o imediato.

Ainda conforme o ministro, são prioridades ajudar a indústria e a agricultura nas pesquisas para agregar valor aos produtos fabricados no país e destinados ao comércio exterior.

O MCT deve ainda atuar na substituição de importações, estimulando a produção nacional de itens hoje importados, como é o caso do setor de microeletrônica.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas