Plantão

Biotecnologia agora também é open-source

Biotecnologia agora também é open-source

Cientistas dos Laboratórios CAMBIA, que funciona junto da Universidade Charles Sturt, Austrália, disponibilizaram o kernel do primeiro conjunto de ferramentas de software para biotecnologia totalmente "open source". Essas ferramentas, e o precedente que elas estabelecem, irão permitir a entidades públicas e pequenas e médias empresas a explorar novos negócios nessa área que promete revolucionar as ciências da vida, como medicina e biologia.

As tecnologias incluem o TransBacter, um novo método para transferir genes para plantas, e o GUSPlus, uma nova forma de visualização do local onde esses genes se encontram e de como eles funcionam.

"Essas ferramentas estão semeando um movimento crescente - a Iniciativa BIOS - que irá permitir aos pesquisadores, mesmo nos países mais pobres do mundo, serem parceiros na escolha e desenvolvimento das tecnologias de melhoramento de plantas que são mais adequadas às suas próprias prioridades," afirma Richard Jefferson, fundador do CAMBIA.

"Mais importante, essas novas ferramentas estão sendo disponibilizadas sob um novo paradigma de licenciamento que garante que elas serão melhoradas, compartilhadas e mantidas como um recurso público," diz ele.

Foi lançado também o repositório BioForge, inspirado no SourceForge, o maior portal de desenvolvimento de softwares livres do mundo. O BioForge é uma plataforma colaborativa de pesquisas que tenham por objetivo gerar inovações tecnológicas na área da biotecnologia.

Os pesquisadores membros da comunidade BioForge poderão utilizar as licenças certificadas pela BIOS para distribuir seus trabalhos. A Iniciativa BIOS fornece um novo mecanismo de licenciamento que encoraja o compartilhamento das ferramentas que geram a inovação, mas permite que se mantenha os produtos patenteados.

Veja o quadro Para Navegar, abaixo, com os endereços de todos os recursos disponibilizados.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas