Plantão

Em busca do financiamento desejado

Agência FAPESP - 08/09/2005

Um serviço de busca com um banco de dados sobre agentes nacionais e internacionais de financiamento a pesquisa acaba de ser lançado. A iniciativa é fruto da parceria firmada entre a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que pretendem fazer da ferramenta Financiar um marco na busca por informações sobre captação de recursos em diversas áreas do conhecimento.

A intenção é aproximar pesquisadores e gestores das fontes de recursos para novos projetos de pesquisa. Para isso, o serviço, que funciona na internet, reúne cerca de 200 agentes financiadores no Brasil e 400 no exterior.

"O pesquisador pode encontrar diversas fontes de financiamento, por meio de palavras-chave ou área de interesse", explica Cássia Sakiyama, coordenadora do sistema. "O resultado da busca não traz apenas uma lista com diferentes nomes de entidades, mas um histórico detalhado sobre as possibilidades de financiamento de acordo com o trabalho que o pesquisador deseja desenvolver", disse à Agência FAPESP.

Ao se cadastrar no Financiar, o usuário define o perfil do projeto para verificar quais são os possíveis agentes interessados. A partir daí, o projeto deve ser elaborado de acordo com as condições do agente, para que a proposta seja submetida dentro do prazo.

Além disso, os pesquisadores recebem semanalmente, por e-mail, informações sobre novas oportunidades em determinadas áreas do conhecimento. Detalhes sobre formas de financiamento, editais, valores, pré-requisitos e datas para envio de projetos são algumas das informações disponíveis.

No momento, o sistema está aberto apenas a pesquisadores da UFMG e da UFV. "A intenção é disponibilizar, até o final do ano, o serviço a outras instituições de ensino e pesquisa, a fundações, empresas e organizações não-governamentais", conta Cássia. "Ainda estamos estudando uma política de acesso eficiente. A previsão é que o Financiar possa ser assinado, por exemplo, por um pesquisador individual ou até por uma grande universidade e aberto a todos os alunos", disse.

O sistema foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), da UFMG, e a Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), da UFV.





Outras notícias sobre:

Mais Temas