Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Acidente destrói parcialmente radiotelescópio de Arecibo

Redação do Site Inovação Tecnológica - 12/08/2020

Acidente destrói parcialmente radiotelescópio de Arecibo
O cabo de aço rompeu a estrutura do prato e destruiu parte do domo principal do radiotelescópio.
[Imagem: UCF/Arecibo]

Acidente em Arecibo

Um dos cabos de aço que ajuda a sustentar a plataforma de metal instalada acima do Observatório de Arecibo, em Porto Rico, partiu-se nesta segunda-feira, caindo sobre o radiotelescópio e causando um corte de 30 metros de comprimento em seu gigantesco prato refletor.

Quando o cabo de 7,5 centímetros de diâmetro caiu, ele danificou também 8 painéis no Domo Gregoriano e retorceu a plataforma usada para acessar o domo.

Ainda não está claro o que causou a quebra do cabo.

O acidente interrompeu totalmente o funcionamento do radiotelescópio, que ficará parado até que o conserto seja realizado.

O prato principal de recepção do observatório está entre os maiores radiotelescópios de prato único do mundo. O prato reflexivo tem 305 metros de diâmetro, 50,9 metros de profundidade e cobre uma área superior a 4.000 m2.

O maior radiotelescópio do mundo atualmente é o FAST, localizado na China.

Acidente destrói parcialmente radiotelescópio de Arecibo
Por décadas, Arecibo foi o maior radiotelescópio do mundo, até ser superado pelo chinês Fast.
[Imagem: Wikipedia/JidoBG]

Velho guerreiro

O Observatório de Arecibo já sobreviveu a muitos furacões, tempestades tropicais e terremotos. Na verdade, os reparos dos estragos feitos pelo furacão Maria, em 2017, ainda estão em andamento, mas as observações científicas já haviam sido retomadas.

Construído há mais de 50 anos, o radiotelescópio ficou famoso entre o público ao ser a sede de filmagem do filme Contato, inspirado na obra de Carl Sagan, no qual uma astrônoma consegue captar sinais de uma civilização alienígena. Os radiotelescópios são o principal instrumento dos programas de busca por inteligências extraterrestres, como o SETI.

A Universidade Central da Flórida, que administra o observatório, divulgou nota dizendo que está sendo feito um levantamento da situação, não sendo ainda possível estimar o prazo para reativação do radiotelescópio.






Outras notícias sobre:
  • Telescópios
  • Universo e Cosmologia
  • Exploração Espacial
  • Antenas

Mais tópicos