Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Asteroide QV89 não acertará a Terra desta vez, diz ESA

Com informações do ESO - 23/07/2019

Asteroide QV89 não acertará a Terra desta vez, diz ESA
Esta imagem mostra a região do céu onde o asteroide 2006 QV89 estaria se estivesse em rota de colisão com a Terra em 2019. Mas ele não está lá.
[Imagem: ESO/ O. Hainaut/ ESA]

Asteroide sumido

O asteroide 2006 QV89, um pequeno objeto de entre 20 e 50 metros de diâmetro, tornou-se motivo de rumores devido a uma pequeníssima possibilidade - 1 em 7000 - de colidir com a Terra no dia 9 de Setembro de 2019.

No primeiro caso conhecido de excluir o impacto de um asteroide através de uma "não detecção", o Observatório Europeu do Sul (ESO) e a Agência Espacial Europeia (ESA) concluíram que o asteroide 2006 QV89 não se encontra em rota de colisão com o nosso planeta este ano.

Geralmente, quando se descobre que um asteroide tem uma hipótese mínima de colidir com a Terra, executam-se várias observações e medições. Estes dados astrométricos dão uma ideia melhor do trajeto do asteroide, melhorando assim a nossa compreensão do risco que ele representa e frequentemente excluindo qualquer hipótese de colisão.

No entanto, o caso do asteroide 2006 QV89 foi algo peculiar.

Este objeto foi descoberto em Agosto de 2006 e observado durante apenas 10 dias. As observações sugeriram que havia a probabilidade de 1 em 7000 de ele colidir com a Terra em sua próxima passagem, a 9 de Setembro de 2019. Após o décimo dia, o asteroide desapareceu dos telescópios e não foi mais observado desde então.

Detecção negativa

Agora, mais de uma década depois, é possível prever a sua posição com pouca precisão, tornando muito difícil a sua observação, já que ninguém sabe exatamente para onde apontar o telescópio.

Apesar disso, existe um modo de se obter a informação pretendida. Embora não saibamos a trajetória exata do 2006 QV89, sabemos no entanto onde ele deveria aparecer no céu se estivesse em rota de colisão com o nosso planeta.

Assim, podemos simplesmente observar essa pequena área do céu para verificar se o asteroide não se encontra nesse local. Deste modo, podemos excluir indiretamente qualquer risco de impacto, nem vermos efetivamente o asteroide.

Foi precisamente isso que o ESO e a ESA fizeram. A equipe obteve imagens muito "profundas" de uma pequena área do céu, onde o asteroide estaria localizado se estivesse numa rota para colidir com a Terra em Setembro. E ele não está lá.

A imagem mostra a região do céu onde o asteroide 2006 QV89 estaria se estivesse em rota de colisão com a Terra este ano. As três cruzes vermelhas revelam localizações específicas onde o asteroide poderia ter aparecido como um simples ponto preto e grande, se estivesse em rota de colisão.

Mesmo se o asteroide fosse menor do que o esperado, com uma dimensão de apenas alguns metros, ainda assim ele apareceria na imagem. Menor do que isso e já seria impossível detectá-lo mesmo com o poderoso VLT - mas, nesse caso, ele seria inofensivo, já que qualquer asteroide desse tamanho se queimaria ao entrar na atmosfera terrestre.







Outras notícias sobre:
  • Corpos Celestes
  • Telescópios
  • Universo e Cosmologia
  • Exploração Espacial

Mais tópicos