Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Câmara vai discutir iniciativas para a indústria 4.0

Com informações da Agência Brasil - 08/04/2019

Câmara vai discutir iniciativas para a indústria 4.0
Na indústria 4.0, a internet está no centro da automação industrial.
[Imagem: Governo do Espírito Santo/Divulgação]

Câmara Brasileira da Indústria 4.0

Com o objetivo de criar condições para que o Brasil não fique para trás na chamada quarta revolução industrial, conhecida como indústria 4.0, foi lançada a Câmara Brasileira da Indústria 4.0.

A ideia de debater o tema com os meios empresarial e acadêmico, para facilitar a integração de iniciativas de fomento da indústria 4.0, a manufatura avançada e a internet das coisas, que integra à internet dispositivos eletrônicos usados no dia a dia.

Segundo o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC (Ministério da Ciência e Tecnologia), Paulo Alvim, o objetivo final das políticas a serem elaboradas a partir da Câmara da Indústria 4.0 é fazer com que as bases de conhecimento sejam transformadas em riqueza para o país.

"Essa Câmara é um esforço de construção coletiva com a participação de governo e sociedade civil para promover a transformação do país. Trata-se de uma nova etapa a ser desenvolvida, a partir do aprendizado obtido com iniciativas anteriores", disse.

Muito atrás

Na avaliação do secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, falta capital humano para que o Brasil consiga avançar na direção da quarta revolução industrial.

"Estamos muito atrás. Portanto formar profissionais é nossa prioridade," disse.

Para o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Afonso Ferreira, que também integra a Câmara, a quarta revolução industrial não pode ser para poucos. "Precisa ser permeada para toda a sociedade. É preciso também um esforço sério de redução de desperdício e do tempo de fabricação de produtos, bem como disponibilizá-la a baixo custo para todos. Ela também demandará qualificação massiva de mão de obra e investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação," disse o presidente da CNI.

Também integram o conselho superior, que tem caráter deliberativo, Ministério da Economia, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Emprapii), além de MCTIC, CNI e BNDES.

Recursos

Uma das nove entidades que formarão o conselho superior dessa Câmara é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). De acordo com o presidente do banco, Joaquim Levy, o BNDES "estará firme" na infraestrutura e na indústria 4.0.

"O BNDES se junta a esse trabalho com disponibilização de crédito. Estaremos presentes com capital físico, financeiro e com nossos recursos humanos. São inúmeras as interligações [da indústria 4.0] dentro da economia. Pode ajudar a agricultura, por meio de colheitadeiras inteligentes que analisam o solo ou a meteorologia. Podem também ajudar no transporte, na segurança, na iluminação pública, entre outros", argumentou.







Outras notícias sobre:
  • Políticas de Ciência e Tecnologia
  • Transmissão de Dados
  • Processos Industriais
  • Robôs Industriais

Mais tópicos