Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Eletrônica

Câmera mais rápida do mundo filma reações químicas

Redação do Site Inovação Tecnológica - 12/08/2014

Câmera mais rápida do mundo filma reações químicas
Esquema da femtofilmadora, que captura eventos na faixa dos femtossegundos.
[Imagem: K. Nakagawa et al. - 10.1038/nphoton.2014.163]

Clique rápido

Pesquisadores japoneses criaram a câmera mais rápida do mundo.

O aparelho - bem mais complexo do que uma câmera digital tradicional - é capaz de capturar 4,4 trilhões de quadros por segundo.

Isto significa que é possível filmar eventos com duração na casa dos femtossegundos - 1 femtossegundo equivale 10-15 segundos.

Há poucos dias, uma equipe internacional conseguiu fazer as primeiras fotografias da fotossíntese em ação, também nessa escala temporal, mas usando raios X.

Além de capturar imagens totalmente ópticas, o novo aparelho é uma filmadora completa. Segundo os pesquisadores, ele faz "femtofotografias de imagens em movimento" - ou seja, é uma femtofilmadora.

A equipe batizou a técnica de captura de imagens de STAMP (Sequentially Timed All-optical Mapping Photography - fotografia por mapeamento totalmente óptico sequencialmente temporizada).

Mesmo em sua velocidade máxima, a câmera produz imagens de 450 x 450 pixels, consideradas gigantescas para uma câmera de tão alta velocidade.

Filmagem de reações químicas

Segundo Keiichi Nakagawa e seus colegas das universidades de Tóquio e Keio, a femtofilmadora permitirá a captura de imagens de reações químicas em andamento, ondas vibracionais se espalhando pela estrutura atômica dos materiais e até mesmo da condução de calor.

"Para demonstrar a ampla utilidade da câmera, nós a utilizamos para capturar a dinâmica do plasma e as ondas vibracionais de uma rede atômica, ambas difíceis de observar com os métodos convencionais em uma única tomada e em tempo real," afirma a equipe.

Segundo os pesquisadores, para que os benefícios da nova técnica possam ser usufruídos por toda a comunidade científica, eles vão trabalhar na miniaturização do aparelho - o protótipo mede cerca de um metro quadrado.

Bibliografia:

Artigo: Sequentially timed all-optical mapping photography (STAMP)
Autores: K. Nakagawa, A. Iwasaki, Y. Oishi, R. Horisaki, A. Tsukamoto, A. Nakamura, K. Hirosawa, H. Liao, T. Ushida, K. Goda, F. Kannari, I. Sakuma
Revista: Nature Photonics
Vol.: Published online
DOI: 10.1038/nphoton.2014.163






Outras notícias sobre:
  • Fotônica
  • Sensores
  • Microscópios
  • Equipamentos Eletrônicos

Mais tópicos