Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Meio ambiente

Caos no trânsito: Carros autônomos ficarão rodando para não pagar estacionamento

Redação do Site Inovação Tecnológica - 01/03/2019

Caos no trânsito: Carros autônomos ficarão rodando para não pagar estacionamento
Mas os carros sem motoristas também trarão ganhos para o trânsito, eliminando paradas em semáforos e rotatórias, por exemplo. O que ainda não sabemos é se os carros autônomos precisarão de carteira de motorista.
[Imagem: Umich]

Sem necessidade de estacionar

Se você acha que o trânsito nos centros das cidades está ruim hoje, espere até que os carros autônomos saiam das concessionárias.

Eles provavelmente vão ficar circulando à espera de seus donos para evitar pagar as altas taxas de estacionamento no centro da cidade.

Pior ainda, como rodar em velocidades mais baixas gasta menos baterias, os carros autônomos provavelmente vão rodar lentamente enquanto matam o tempo para esperar seus donos, avalia o planejador de transporte Adam Millard Ball, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz.

"Os preços de estacionamento são o que leva as pessoas a deixarem seus carros em casa, mas os veículos autônomos não têm necessidade de estacionar. Eles podem evitar o estacionamento rodando. Eles terão todo o incentivo para criar um estrago [no trânsito]," acrescentou Ball.

Rodar para evitar pagar estacionamento

Sob o melhor cenário possível, a presença de apenas 2.000 carros autônomos no centro da cidade de São Francisco, nos EUA, seria suficiente para reduzir a velocidade no trânsito para menos de 3 quilômetros por hora, de acordo com o pesquisador, que usou teoria dos jogos e um modelo de microssimulação de tráfego para fazer suas previsões.

"É preciso apenas uma minoria para atrapalhar as coisas," disse ele, citando os congestionamentos nos aeroportos causados pelos motoristas que ficam circulando pela área de "chegadas" para evitar pagar pelo estacionamento: "Os motoristas andam o mais lentamente possível para que não precisem dar outra volta."

Estacionamentos com internet e chamadas de celulares sem custos, juntamente com uma fiscalização mais rigorosa, têm ajudado a aliviar os problemas nos aeroportos. Ampliar essas medidas para os centros das cidades, contudo, exigirá fornecer áreas de estacionamento remotas para carros autônomos a taxas menores do que o custo de simplesmente deixá-los rodando.

"Mesmo quando você leva em conta a eletricidade, depreciação, desgaste e manutenção, o custo de cruzeiro é de cerca de 50 centavos [de dólar] por hora - isso é mais barato do que estacionar mesmo em uma cidade pequena," cita Ball. "A menos que seja grátis ou mais barato do que ficar rodando, por que alguém usaria um estacionamento distante?"

Pedágio urbano

Economistas e ambientalistas concordam que "taxar o congestionamento" - cobrar pedágio pelo uso das vias centrais, por exemplo - reduz efetivamente o congestionamento e a poluição, mas é uma estratégia politicamente cara porque aumenta a ira dos motoristas.

Mas é aí que Ball aponta uma oportunidade um tanto maquiavélica.

"Como política, cobrar um pedágio urbano é difícil de implementar. O público nunca quer pagar por algo que historicamente pegou de graça," disse ele. "Mas ninguém tem um veículo autônomo hoje, então não há um eleitorado organizado para se opor à cobrança pelo uso das vias públicas. É a hora de estabelecer o princípio e usá-lo para evitar o cenário de pesadelo do engarrafamento total."

Bibliografia:

Artigo: The autonomous vehicle parking problem
Autores: Adam Millard-Ball
Revista: Transport Policy
Vol.: 75, March 2019, Pages 99-108
DOI: 10.1016/j.tranpol.2019.01.003






Outras notícias sobre:
  • Veículos
  • Poluição
  • Inteligência Artificial
  • Veículos Híbridos e Elétricos

Mais tópicos