Meio ambiente

Cidades inteligentes saem da teoria para a prática na Europa

Cidades começam a ficar inteligentes na Europa
Os bairros residenciais estão sendo reprojetados para compartilhar gastos de energia.[Imagem: Remourban Project/Divulgação]

Remodelagem urbana

É certo que as cidades inteligentes dependem de uma ação conjunta da sociedade - mas um conjunto de boas ideias também ajuda muito.

Para uma equipe multidisciplinar, reunida em torno do projeto europeu RemoUrban (remodelagem urbana), uma cidade inteligente é uma cidade onde a vida se tornou mais fácil.

E eles não estão ficando só na teoria.

Passagens de ônibus podem ser compradas diretamente de um aplicativo no celular e os carros particulares são paulatinamente substituídos por carros e bicicletas compartilhados pelo público. Ônibus e carros não funcionam com gasolina ou outros combustíveis convencionais, eles são alimentados por eletricidade, graças a infraestruturas de recarregamento disseminadas por toda a cidade.

As consequências de todas estas melhorias na mobilidade são a redução do consumo de energia e das emissões de CO2 e a redução do tempo de viagem porta-a-porta.

Inteligência urbana

Nas cidades que começam a incorporar inteligência urbana, bairros antigos não são deixados abandonados, eles são regenerados.

Edifícios são isolados termicamente para consumir menos energia em ar-condicionado e aquecimento e ainda se conectam uns aos outros através de redes de compartilhamento de água e ar quentes e frios. Além disso, esses edifícios compartilham informações conforme cada morador define se o interior de seus apartamentos está muito quente ou muito frio, permitindo que os próprios edifícios estabeleçam a temperatura e o consumo de energia de suas centrais de resfriamento e aquecimento.

Em troca, os moradores monitoram quanta energia estão gastando e economizando em mapas interativos de energia, que fornecem uma representação visual do consumo de energia de toda a área em que vivem.

Como a energia é indispensável, boa parte dela já está vindo de painéis solares e de aquecedores termossolares.

Cidades de teste

Tudo isso parece roteiro de um documentário futurístico, mas na verdade não é.

Todas essas atividades listadas acima já estão acontecendo agora em Nottingham (Inglaterra), Valladolid (Espanha), Tepebasi/Eskisehir e Miskolc (Turquia) e Seraign (Bélgica).

Estas cidades foram selecionadas como berço de testes das tecnologias e práticas selecionadas pelo projeto Remourban, que está sendo financiado pela União Europeia.

O objetivo final é desenvolver um modelo de regeneração urbana sustentável, através da reformulação das infraestruturas de energia, mobilidade e tecnologia da informação, chegando a algo mais parecido com cidades inteligentes e sustentáveis.

Para não ficar só na teoria, todos as diretrizes selecionadas estão sendo testadas na prática. Desta forma, outras cidades poderão avaliar a pertinência de cada solução para sua própria situação particular e seguir o exemplo, adotando as melhores práticas.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas