Plantão

China está construindo seu próprio sistema GPS

Redação do Site Inovação Tecnológica - 05/03/2011

China está construindo seu próprio sistema GPS
Em dezembro de 2010, a China lançou nada menos do que sete satélites para sua rede de posicionamento global.[Imagem: CAS]

GPS chinês

A Academia Chinesa de Ciências anunciou que a China terá seu próprio sistema de navegação global por satélites, formado por uma constelação de 30 satélites.

Citando um "especialista sênior de tecnologia espacial da China", a agência afirmou que o projeto está previsto para estar plenamente funcional em 2020.

O programa prevê o lançamento de 12 a 14 satélites durante o período que vai de 2011 a 2015.

Navegação por satélite

A China começou a construir seu próprio sistema de navegação por satélite em 2000, montando um sistema regional de navegação por satélite.

O sistema Beidou começou com o lançamento de três satélites geoestacionários entre Outubro de 2000 e maio de 2003 - beidou significa bússola em chinês.

"O sistema de navegação regional Beidou-1 desempenhou um papel importante nos esforços de resgate após o terremoto devastador de Maio de 2008 em Wenchuan, tendo sido o único canal de ligação com a área atingida pelo terremoto," disse o especialista, identificado apenas como Qi, que seria membro do Comitê Nacional da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês (CCPPC).

O sistema Beidou-1, contudo, não possui escalabilidade, o que teria exigido a construção do Beidou-2, com alcance global.

GPS, Galileo, Glonass e Beidou

O Beidou-2 está sendo criado em etapas.

Em dezembro de 2010, a China lançou nada menos do que sete satélites para sua rede de posicionamento global.

Na etapa de 2011 a 2015, serão lançados de 12 a 14 satélites com capacidade para fornecer serviços de navegação, calendário e serviços de mensagens curtas na região da Ásia e do Pacífico.

Os satélites restantes serão lançados entre 2016 e 2020, quando o GPS chinês estará completo, com seus 30 satélites.

Segundo o Sr. Qi, o GPS chinês poderá desempenhar um papel importante na previsão de terremotos, na definição mais precisa de fronteiras, na orientação de "motoristas perdidos" e para assegurar operações militares mais precisas.

Além do GPS norte-americano, já em funcionamento está em andamento a construção do GPS europeu, chamado Galileo, e do GPS russo, chamado Glonass.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas