Nanotecnologia

Luz cria estruturas físicas em metais

Redação do Site Inovação Tecnológica - 05/09/2013

Luz cria estruturas físicas em metais
[Imagem: Takashige Omatsu/Ryuji Morita]

Construindo com luz

Que a luz tem um momento que pode ser usado para manipular objetos em escala microscópica é algo bem conhecido através das pinças ópticas e até dos emergentes raios tratores.

Mas Takashige Omatsu (Universidade de Chiba) e Ryuji Morita (Universidade de Hokkaido) foram bem além de empurrar ou puxar nanopartículas.

Em 2010, uma equipe havia conseguido retorcer estruturas rígidas usando apenas luz.

Os pesquisadores japoneses foram além, e usaram a luz para criar verdadeiras esculturas cônicas na superfície de metais.

As esculturas em espiral - elas lembram sorvetes - foram batizadas de "nanoagulhas quirais" - a quiralidade, uma propriedade essencial para vários ramos da ciência, significa que um objeto não pode ser sobreposto à sua imagem, da mesma forma que a mão direita difere da mão esquerda.

Em vez de cinzel e martelo, os pesquisadores aproveitaram o momento orbital da luz, um vórtice de luz em formato de parafuso, mais conhecido como "luz torcida", que está sendo explorado também para a transmissão super-rápida de dados em fibras ópticas.

Além da manipulação da matéria sólida, chamou a atenção o fato de que as estruturas chegam a medir até 10 micrômetros de altura, verdadeiros arranha-céus para as dimensões da nanotecnologia, que opera em escalas 1.000 vezes menores.

A curvatura e o afunilamento das nanoagulhas podem ser controlados alterando o foco da luz.

Segundo os pesquisadores, a técnica poderá ser usada para a fabricação de metamateriais e nanoestruturas plasmônicas.

"Nós estamos também trabalhando na transferência do momento angular da luz para objetos físicos, dispositivos biomicroeletromecânicos para ativar uma célula viva, e também para conectar nanoelementos a uma base de metal," disseram eles.

Bibliografia:

Light twists a material on the nanoscale
Takashige Omatsu, Ryuji Morita
SPIE
Vol.: Published online
DOI: 10.1117/2.1201308.004959




Outras notícias sobre:

    Mais Temas