Nanotecnologia

Nanoembreagem usa acoplamento a água para arrancada suave

Nanoembreagem dá arrancada suave para nanocarros e nanorrobôs
A nanoembreagem usa água como meio de acoplamento, aproveitando um fenômeno conhecido como eletroumectação. [Imagem: Guosong Hong/Stanford-Zhang et al./JAP]

Embreagem de nanotubos

Com a proliferação de nanomotores e nanocarros, faltava uma forma de acoplar os dois mecanismos para obter um funcionamento suave.

Não falta mais.

Pesquisadores chineses criaram uma nanoembreagem, que permite um acoplamento suave e o controle de velocidade dos nanomotores.

A nanoembreagem foi construída com dois nanotubos de carbono, um dentro do outro, separados por uma finíssima camada de água.

Acoplamento líquido

Um fenômeno conhecido como eletroumectação (electrowetting) - a capacidade de controlar eletricamente como os líquidos interagem com superfícies sólidas - permite controlar o atrito entre a água e as paredes interiores e exteriores dos dois nanotubos.

Quando os dois nanotubos são carregados eletricamente, a água confinada entre eles transmite o torque do tubo interior para o tubo exterior - a embreagem é acoplada, ou "engatada".

Quando a tensão elétrica sobre os nanotubos é retirada, a água volta a funcionar em sua fluidez normal, desengatando os dois nanotubos, e deixando o nanomotor rodando livre.

Nanomecanismos

Zhong-Qiang Zhang e seus colegas afirmam que sua tecnologia nano-automotiva é capaz de controlar a velocidade dos nanomotores de forma totalmente suave, sem os trancos das engrenagens.

Para isso, basta controlar a intensidade da carga aplicada aos nanotubos de carbono, o que garante uma transição suave da posição livre para a posição engrenada.

Eles acrescentam que seu modelo poderá ser o ponto de partida para o controle de nanomáquinas e de micro e fabricar nano-robôs.

Bibliografia:

Carbon Nanotube-Based Charge-Controlled Speed-Regulating Nanoclutch
Zhong-Qiang Zhang, Hong-Fei Ye, Zhen Liu, Jian-Ning Ding, Guang-Gui Cheng, Zhi-Yong Ling, Yong-Gang Zheng, Lei Wang, Jin-Bao Wang
Journal of Applied Physics
Vol.: 111, 114304
DOI: 10.1063/1.4724344




Outras notícias sobre:

    Mais Temas