Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Observatório Regional da Amazônia atuará em educação e biodiversidade

Com informações do MCTI - 13/09/2012


Informações amazônicas

Representantes dos oito países da Organização do Tratado da Cooperação Amazônica (OTCA) reuniram-se em evento realizado no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), em Manaus.

Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela pretendem criar o Observatório Regional da Amazônia.

A organização deverá ser um fórum permanente de instituições voltado à elaboração de estudos de interesse para a região, com ênfase na biodiversidade.

Ela incluirá a Plataforma de Cooperação na Área Ambiental, constituída por um sistema de informação integrado e um serviço regional de capacitação.

"O observatório será uma forma de agregar a informação ambiental da Bacia Amazônica", explicou Mercedes Bustamante, do MCTI. "Há iniciativas semelhantes na Colômbia e nos países andinos, mas o modelo brasileiro chama atenção pela escala em termos de extensão territorial e pelo avanço que o país tem em algumas áreas de informatização das coleções, de catalogação dos dados."

Intercâmbio de estudantes

Firmado em 1978, o Tratado de Cooperação Amazônica tem o compromisso de "promover ações conjuntas para o desenvolvimento harmônico da Bacia Amazônica". Em 1995, as oito nações criaram a OTCA.

O diretor executivo da OTCA, Mauricio Dofler, afirmou que o Observatório da Amazônia deve dinamizar a entidade. Segundo ele, as prioridades são constituir, além de um sistema integrado de informação, cursos de intercâmbio e seminários regionais.

"Há uma ideia de promover um grande intercâmbio de estudantes dentro da OTCA. É uma frente que tem muito espaço para crescer", acrescentou Mercedes. "Costurar isso seria realmente uma forma de dar mobilidade aos bolsistas, com possibilidade de comparar problemas semelhantes entre os diferentes países."

Desenvolvimento amazônico

Já o documento base para a reunião de Manaus aponta para a missão de incentivar o debate sobre o desenvolvimento amazônico e a construção de uma rede de pesquisa capaz de propor políticas públicas consistentes.

Para criar o observatório, a OTCA tem assessoria técnica do INPA, do Instituto de Investigaciones de la Amazonía Peruana (IIAP) e do Instituto Amazónico de Investigaciones Científicas Sinchi, da Colômbia.

Na opinião do diretor do Inpa, Adalberto Val, a realização da reunião no instituto é relevante para o trabalho do bioma amazônico. Ele ressalta a criação do observatório como uma possibilidade de compartilhamento e difusão de informações que beneficiarão todos os países envolvidos.

"A capacitação ainda é muito frágil na região. Nós temos problemas sérios aqui no Brasil, e, em relação aos países vizinhos, a situação se agrava ainda mais," concluiu Val.







Outras notícias sobre:
  • Monitoramento Ambiental
  • Políticas de Ciência e Tecnologia
  • Biotecnologia
  • Biomecatrônica

Mais tópicos