Plantão

Veja imagens do primeiro pouso simulado em Marte

ESA - 17/02/2011

Primeiro pouso em Marte

Três tripulantes da viagem virtual a Marte "aterraram" no destino e dois deles deram os primeiros passos no terreno marciano simulado. O ponto alto da missão Mars500 durou uma hora e doze minutos, com início às 13:00, horário de Moscou.

O planeta Marte virtual está alojado no Instituto dos Problemas Biomédicos, em Moscou, no piso acima dos módulos cilíndricos em que está alojada a tripulação da Mars500.

Os seis homens estão em isolamento há mais de oito meses, durante a primeira missão de simulação de uma viagem a Marte.

Três tripulantes, o russo Alexandr Smoleevskiy, o italiano Diego Urbina e o chinês Wang Yue, entraram no módulo de pouso no dia 8 de Fevereiro e "aterraram" em Marte quatro dias mais tarde.

Discurso real

Depois desta primeira saída, os astronautas virtuais vão aventurar-se mais duas vezes no simulador de superfície, usando trajes espaciais russos Orlan.

"A Europa explorou a Terra durante séculos, tendo na frente pessoas como Colombo ou Magalhães," disse Diego no início do seu passeio marciano com Alexandr. "Hoje, olhando para esta paisagem vermelha, posso sentir de que forma será inspirador ser o primeiro ser humano a colocar o pé em Marte. Saúdo todos os exploradores de amanhã e desejo-lhes uma boa viagem."

A próxima saída, de Alexandr e Yue será amanhã, 18 de Fevereiro, seguida da última, novamente com Alexandr e Diego, em 22 de Fevereiro.

A cratera Gusev

O terreno, com cerca de 10 m de comprimento e 6 m de largura, está coberto com areia avermelhada e está construído de forma a se parecer com a superfície da cratera Gusev.

Gusev, um antigo leito preenchido com sedimentos, é um dos mais interessantes alvos de investigação em Marte, seja através de robôs ou de exploração humana.

O robô Spirit, da NASA, aterrou lá em 2004 e mostrou que a cratera oferece várias pistas relativas à história da umidade no planeta.

Comida espacial

Os três tripulantes vão viver no módulo de pouso de 6,3 x 6,17 metros durante 16 dias, comendo o tipo de comida transportada na nave russa Soyuz e fazendo apenas exercícios físicos limitados.

O módulo de pouso voltará à órbita em 23 de Fevereiro, juntando-se à nave mãe no dia seguinte.

A ligação entre os módulos será aberta em 27 de Fevereiro, para que se juntem a Romain Charles, Alexey Sitev e Sukhrob Kamolov, que permaneceram em órbita de Marte.

Uma missão de sucesso

"A tripulação está altamente motivada e apresenta um ótimo desempenho", disse Jennifer Ngo-Anh, responsável da ESA pela Mars500. "A comunidade científica está muito satisfeita com a qualidade do material, mas como esta é uma longa experiência temos de esperar pelos resultados até a sua 'chegada' à Terra."

A parte mais difícil, mas também a mais interessante deste estudo psicológico de voos de longa distância, ainda está para vir: a tripulação enfrentará agora outra monótona viagem interplanetária, sem ter no horizonte a expectativa pela aterragem em Marte.

A viagem de regresso, com a duração de oito meses, irá começar em 1 de Março, depois de encherem o módulo de pouso com lixo e de se verem livres dele, como irá provavelmente acontecer durante o primeiro voo real a Marte.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas