Informática

Receptor Terahertz abre caminho para a singularidade tecnológica

Receptor Terahertz abre caminho para a singularidade tecnológica
Conexões sem fio terahertz permitirão que médicos em estações terrestres realizem remotamente uma cirurgia de emergência em um astronauta no espaço.[Imagem: Hiroshima University/Nict/Panasonic]

Equipamento THz

Engenheiros japoneses apresentaram um transceptor terahertz (THz) capaz de transmitir ou receber dados digitais a 80 gigabits por segundo (Gbit/s).

Considerado um elemento essencial para a próxima geração das telecomunicações, o transceptor foi construído usando a tecnologia de circuito integrado de silício CMOS, o que é uma grande vantagem para sua produção em escala industrial.

A banda THz é uma faixa de frequência vasta e ainda inexplorada porque só agora começam a ser desenvolvidas as tecnologias capazes de operar com ela. O padrão IEEE 802.15.3d, publicado em outubro de 2017, define o uso da faixa de frequência THz entre 252 gigahertz (GHz) e 325 GHz, uma faixa mais conhecida como "banda de 300 GHz", como canais de comunicação sem fio de velocidade muito superior às atuais.

Os cálculos indicam que as comunicações terahertz deixarão os satélites tão rápidos quanto as fibras ópticas.

Este primeiro aparelho capaz de operar nessa classe foi construído por uma colaboração entre engenheiros da Universidade de Hiroshima, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicações e da empresa Panasonic.

"Nós apresentamos em 2017 um transmissor CMOS que podia alcançar 105 Gbit/s, mas o desempenho dos receptores que desenvolvemos, ou de qualquer outro grupo, ficou muito atrás por um motivo: Nós podemos usar uma técnica chamada 'combinação de potência' nos transmissores para melhorar o desempenho, mas a mesma técnica não pode ser aplicada aos receptores. Um transmissor ultrarrápido é inútil a menos que um receptor igualmente rápido esteja disponível. Nós finalmente conseguimos trazer o desempenho do receptor CMOS para perto de 100 Gbit/s," contou o professor Minoru Fujishima, coordenador da equipe.

Singularidade tecnológica

"As pessoas falam muito sobre a singularidade tecnológica nos dias de hoje. O principal ponto de interesse parece ser se a superinteligência artificial irá aparecer.

"Mas uma questão mais significativa para me perguntar como engenheiro é como podemos manter o avanço tecnológico em constante aceleração. Isso é um pré-requisito. Os avanços não apenas no poder computacional, mas também na velocidade e capacidade de comunicação dentro e entre os computadores são de vital importância. Você não gostaria de ter uma operação em gravidade zero a bordo de uma nave espacial sem conexão em tempo real com estações terrestres onde estejam médicos e recursos de superinteligência artificial.

"Afinal de contas, a singularidade é uma profecia autorrealizável. Não é algo que algum gênio lá fora fará acontecer de repente. Será um resultado distante do que desenvolvemos hoje e amanhã. É claro que ainda há um longo caminho a percorrer, mas espero que estejamos abrindo caminho para esse dia," profetizou o professor Fujishima.

Bibliografia:

An 80Gb/s 300GHz-Band Single-Chip CMOS Transceiver
S. Lee, R. Dong, T. Yoshida, S. Amakawa, S. Hara, A. Kasamatsu, J. Sato, M. Fujishima
Proceedings of th IEEE International Solid-State Circuits Conference




Outras notícias sobre:

    Mais Temas