Plantão

Brasil recebe primeiro relógio atômico de hidrogênio

Relógio atômico de hidrogênio

Um relógio atômico que utiliza o hidrogênio está em funcionamento desde o último dia 1º no subsolo da Divisão Serviço da Hora do Observatório Nacional (ON/MCT), no Imperial Bairro de São Cristovão, no Rio de Janeiro.

Este é o primeiro relógio atômico do país baseado no átomo de hidrogênio.

De acordo com Ricardo José de Carvalho, chefe de divisão do serviço da ordem do Observatório Nacional (ON/MCT), no Rio de Janeiro, "relógios baseados na frequência atômica do Hidrogênio levariam 10 milhões de anos para atrasar ou adiantar um segundo".

A aquisição de um relógio atômico baseado em hidrogênio contribui para que o Brasil fique dentro das medidas de hora legal, determinadas pela ordem internacional de pesos e medidas. "Cada país gera sua hora, restrito a uma diferença máxima de 25 nanossegundos (25 segundos/bilhão) e assim comparamos nossa hora com o horário gerado nos Estados Unidos (EUA), no México, no Canadá, na Alemanha e no Japão", explica Carvalho.

Exatidão dos relógios atômicos

Sem a exatidão da medida do tempo e frequência gerada pelos relógios atômicos, serviços como a navegação do Sistema de Posicionamento Global (GPS) e a Internet seriam também prejudicados.

Junto a essas tecnologias cotidianas, instituições como Supremo Tribunal Federal (STF) e Banco Central teriam algumas implicações, pois existem nas transações bancárias e publicações judiciárias carimbos eletrônicos que registram data e hora, baseados na hora legal brasileira.

O novo relógio atômico fica na divisão de serviço da ordem do ON, alocado com outros sete relógios baseados em átomos de césio. São tantos porque, para gerar a hora legal com precisão, quanto mais estável a medida de frequência do conjunto de relógios, mais uniforme é a geração de dados sobre tempo e frequência.

Relógios de césio x relógios de hidrogênio

A medida do relógio de hidrogênio é mais estável, enquanto o de elemento atômico césio é mais constante.

"Um relógio de césio gera uma frequência que não tem derivações, e o o de hidrogênio é mais preciso em curto prazo, mas pode apresentar derivações. Então é necessário apresentar uma combinação dos dois," explica Carvalho.

Assim sendo, a primeira compra de um relógio baseado em hidrogênio fornece mais precisão para o sistema de medidas do tempo e frequência no Brasil.

O ON tem como função, designada pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), ser referência nacional em tempo e frequência. O órgão faz a calibragem de laboratórios secundários. Consequentemente diversos instrumentos utilizam a referência estabelecida pelo observatório, já que outros serviços de calibragem são decorrentes desses meios secundários.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas