Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Carbono detectado pelo Curiosity em Marte pode ser terrestre

Redação do Site Inovação Tecnológica - 04/12/2012

Robô Curiosity ainda não detectou matéria orgânica em Marte
Os cientistas da NASA descobriram logo após o lançamento do Curiosity que uma falha na fabricação contaminaria as amostras com carbono terrestre, mas não havia mais como corrigir o problema.
[Imagem: NASA/JPL-Caltech]

Matéria orgânica marciana

Acabou em decepção a muito esperada conferência da NASA sobre os primeiros resultados de uma análise completa do solo de Marte, feita pelo robô Curiosity.

Há cerca de duas semanas, o chefe da missão, John Grotzinger, deixou escapar em uma entrevista que o anúncio envolveria uma descoberta "digna de entrar nos livros de história".

Com tais expectativas infladas, os resultados perderam o brilho quando não foi anunciada a tão esperada "matéria orgânica marciana".

Foi a segunda decepção seguida, logo depois do anúncio de que o robô não encontrou o tão esperado metano na atmosfera marciana.

Química de Marte

A NASA anunciou que o Curiosity "encontrou uma complexa química no solo marciano", incluindo "água, enxofre e substâncias contendo cloro, entre outros ingredientes".

Moléculas de água ligadas a grãos de areia ou poeira não são raras, mas os pesquisadores afirmaram ter encontrado uma quantidade maior do que a esperada.

Esta foi a primeira vez que o robô marciano - cujo nome oficial é Laboratório Científico de Marte - usou todo o seu arsenal de instrumentos para analisar o solo marciano.

"Nós não temos uma detecção definitiva de matéria orgânica marciana neste momento, mas nós continuaremos procurando nos variados ambientes da Cratera Gale," disse Paul Mahaffy, coordenador dos experimentos com o instrumento SAM (Sample Analysis at Mars).

Contaminação com carbono terrestre

Quando as amostras foram aquecidas no interior dos instrumentos do robô, os cientistas detectaram compostos chamados hidrocarbonos clorados - um material orgânico simples formado por carbono, cloro e hidrogênio.

Contudo, não é possível saber se o carbono é marciano ou se foi levado pelo robô.

Os cientistas da NASA descobriram logo após o lançamento do Curiosity que uma falha de construção contaminaria as amostras com carbono terrestre, mas não havia mais como corrigir o problema.

Ironia

Mais interessante, porém, é que os instrumentos do robô detectaram minerais chamados percloratos.

Percloratos são sais que, quando dissolvidos na água, baixam sua temperatura de congelamento. Isso significa que é possível que a água permaneça líquida bem próximo da superfície, o que seria um ambiente propício para micróbios.

Contudo, o robô Curiosity não possui instrumentos que possam detectar vida diretamente - a menos que seja uma vida que mova-se à frente das suas câmeras.

Na verdade, sua grande missão é encontrar sinais de habitabilidade em Marte - passada ou futura. E, para isso, ele busca moléculas orgânicas.

Foi o que ele encontrou, mas, ironicamente, os cientistas têm certeza da presença da contaminação do carbono terrestre.

Assim, para cumprir as expectativas criadas, que possam "entrar para os livros de história", o Curiosity terá que ter a sorte de capturar uma amostra excepcionalmente rica em material orgânico - o que não se sabe se existe em Marte.







Outras notícias sobre:
  • Marte
  • Robôs Espaciais
  • Mineração
  • Biotecnologia

Mais tópicos