Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Robótica

SapoFone permite ligar para os sapos e ouvir tudo o que eles têm a dizer

Redação do Site Inovação Tecnológica - 02/01/2020

SapoFone permite ligar para os sapos e ouvir tudo o que eles têm a dizer
Por enquanto os sapos só podem ser chamados, não podendo ainda iniciar suas próprias ligações.
[Imagem: Marta Yebra Alvarez]

SapoFone

O sapatofone do Agente 86 está para perder seu posto de equipamento de comunicação mais bizarro já idealizado.

Adrian Sanchis e uma equipe de três universidades australianas acaba de criar o "SapoFone", um aparelho que permite aos cientistas fazer chamadas para os sapos no meio ambiente, com vistas a observar seu comportamento.

Uma vez posto perto da lagoa ou qualquer outro habitat dos sapos que se quer estudar, o SapoFone permite "chamar" os sapos de qualquer lugar, a qualquer hora, usando o próprio celular. As respostas podem chegar na forma de voz - dos sapos, é claro - ou por mensagens de texto emitidas pelo equipamento de monitoramento local.

"Estimamos que o dispositivo com o microfone atual possa detectar sapos chamando de um raio de 100 a 150 metros. O dispositivo nos permite monitorar a população local de sapos com mais frequência e maior facilidade, o que é significativo, já que as espécies de sapos são amplamente reconhecidas como indicadores de saúde ambiental," disse Sanchis.

O monitoramento acústico de animais geralmente envolve visitas de um pesquisador ao local ou o uso de dispositivos acústicos passivos alimentados por bateria, que registram chamadas e as armazenam localmente no dispositivo para posterior análise. Isso geralmente requer observação noturna, quando os sapos são mais ativos.

Agora, quando os pesquisadores discam remotamente para o SapoFone, a chamada pode ser gravada no próprio celular do pesquisador, dispensando o deslocamento para recolhimento dos dados.

SapoFone permite ligar para os sapos e ouvir tudo o que eles têm a dizer
Anke Hoefer e Adrian Sanchis testando o SapoFone.
[Imagem: Marta Yebra Alvarez]

Código aberto

O SapoFone unifica os métodos de monitoramento ativo e acústico passivo, tudo em um invólucro à prova d'água. O sistema possui uma bateria de grande capacidade acoplada a um painel solar. Ele também contém sensores térmicos digitais para coletar automaticamente dados ambientais, como temperatura da água e do ar em tempo real.

O sistema simula os principais recursos de um celular. O SapoFone aceita chamadas de forma independente com intervalos de apenas três segundos. Esses três segundos dão tempo para ativar os sensores de temperatura e medir os níveis de armazenamento da bateria. Todas as leituras são automaticamente enviadas para o telefone do chamador.

"O SapoFone ajudará a reduzir drasticamente os custos e riscos envolvidos em pesquisas remotas ou de alta intensidade. Seu uso também minimiza os possíveis impactos negativos da presença humana nos locais da pesquisa. Esses benefícios são ampliados com o aumento da distância e inacessibilidade de um campo," disse a pesquisadora Anke Hoefer.

Todo o sistema do SapoFone está sendo disponibilizado pela equipe em código aberto. Futuramente, eles pretendem incluir microfones multidirecionais e um link via satélite, para observar locais onde o sinal de telefonia celular não alcança.

Bibliografia:

Artigo: The FrogPhone: A novel device for real-time frog call monitoring
Autores: Adrian Garrido Sanchis, Lorenzo Bertolelli, Anke Maria Hoefer, Marta Yebra Alvarez, Kumudu Munasinghe
Revista: Methods in Ecology and Evolution
DOI: 10.1111/2041-210X.13332






Outras notícias sobre:
  • Equipamentos Eletrônicos
  • Sensores
  • Robôs
  • Transmissão de Dados

Mais tópicos