Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Robótica

Submarino de vestir procura outro Mecanismo de Anticítera

Redação do Site Inovação Tecnológica - 11/06/2014

Submarino de vestir vai procurar outro Mecanismo de Anticítera

[Imagem: Exosuit Project/Divulgação]

Escafandro versão século XXI

O nome escafandro não parece fazer justiça à Exosuit, uma roupa de mergulho que pode ser melhor descrita como um submarino de vestir.

E ela é ainda mais do que isso, oferecendo vantagens que nem os submarinos dispõem.

Apesar de ser feita de metal rígido, a roupa de mergulho possui graus de liberdade que permitem manipulações no fundo do mar impossíveis de se fazer com submarinos ou robôs subaquáticos.

Em seu interior, o mergulhador pode trabalhar em segurança a até 300 metros de profundidade durante 5 horas, movendo-se e tomando decisões rápidas, o que vai acelerar muito o processo de exploração.

Além disso, o mergulhador não precisa passar pela descompressão, podendo subir e mergulhar novamente rapidamente. Com a troca rápida de mergulhadores, as missões da Exosuit são virtualmente ilimitadas em termos de tempo.

Mecanismo de Anticítera

E a primeira missão da Exosuit não poderia ser mais histórica.

Pesquisadores do Instituto Oceanográfico Woods Hole, dos Estados Unidos, pretendem desvendar os segredos do mecanismo de Anticítera, um verdadeiro computador com 2.000 anos de idade.

O artefato único, considerado por alguns como sendo mais valioso do que a Mona Lisa, foi encontrado em 1901 nos restos de um navio naufragado nas proximidades da ilha grega de Anticítera.

Extremamente complexo, com um funcionamento até hoje não totalmente desvendado, o Mecanismo de Anticítera teve sua fabricação datada em 87 A.C.

Em uma campanha de mergulhos prevista para acontecer em Setembro próximo, os pesquisadores pretendem nada menos do que encontrar outros mecanismos similares, eventualmente mais completos e em melhores condições de conservação.

A expectativa é plausível. Quando Jacques Cousteau fez uma expedição aos restos do mesmo navio onde o mecanismo foi encontrado, ele podia ficar no máximo 10 minutos no fundo.

Submarino de vestir

O submarino de vestir é feito de uma liga de alumínio, com juntas articuladas que permitem que o mergulhador mova os braços e pernas com bastante liberdade.

Um cabo umbilical fornece energia para os motores horizontais e verticais e energia para iluminação e para alimentar outros equipamentos. O cabo também contém links de voz, vídeo e dados e, claro, um sistema de renovação de ar.

Na eventualidade de alguma coisa acontecer ao cabo, baterias fornecem energia suficiente para que o mergulhador volte em segurança à superfície.







Outras notícias sobre:
  • Exploração Marítima
  • Robôs
  • Veículos Híbridos e Elétricos
  • Computadores

Mais tópicos