Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Energia

Tanque de combustível para fusão nuclear passa nos testes

Redação do Site Inovação Tecnológica - 20/09/2012

Tanque de combustível da fusão nuclear passa nos testes
Este é o cilindro metálico que será implodido para tentar iniciar a fusão nuclear.
[Imagem: LLNL]

Energia das estrelas

Existem vários projetos tentando alcançar a fusão nuclear, a energia das estrelas, que supriria para sempre as demandas humanas por eletricidade.

Há pelo menos três projetos gigantescos: o ainda incerto ITER (Reator Termonuclear Experimental Internacional) e o HIPER (Pesquisa de Energia Laser de Alta Potência), na Europa, e o NIF (National Ignition Facility), nos Estados Unidos.

Mas há também projetos menores, correndo por fora na busca pelo desenvolvimento de uma tecnologia que muitos questionam se já existiria toda a ciência pronta para embasá-la.

O fato é que a última boa surpresa na área veio de um desses participantes mais modestos, do experimento MagLIF (Magnetized Liner Inertial Fusion), localizado nos laboratórios Sandia, nos Estados Unidos - embora "modesto" seja um termo não muito adequado para experimentos que tentam criar a fusão nuclear.

O MagLIF usará um laser para pré-aquecer o combustível magnetizado, e depois tentará obter a fusão nuclear implodindo o cilindro metálico contendo o combustível com um pulso de energia.

A implosão desse tanque de combustível vai gerar uma compressão que deverá fundir os núcleos de deutério e o trício em seu interior - essa será a fusão nuclear.

Tanque de combustível da fusão nuclear passa nos testes
Esta é a incrível Máquina Z, cuja energia será usada para implodir a cápsula com o combustível e dar a arrancada na fusão nuclear.
[Imagem: LLNL]

Disparo da fusão nuclear

O grande desafio no momento é atingir o chamado "ponto de equilíbrio", um estágio fundamental no qual o processo passa a produzir mais energia do que a energia necessária para acionar a fusão nuclear.

Os pesquisadores do MagLIF completaram o primeiro de três passos considerados essenciais para isso.

Eles construíram o cilindro - o "liner" no nome do experimento - que irá acondicionar o combustível da fusão nuclear, e verificaram experimentalmente que ele funciona exatamente como previsto, não se deformando e mantendo a temperatura necessária para que a fusão se inicie.

Os testes do demais componentes do sistema - o pré-aquecimento do combustível com um laser e a criação do "escudo magnético" que envolverá todo o conjunto - continuarão ao longo deste ano, e a equipe planeja dar o primeiro disparo real para a fusão nuclear em 2013.

Para conhecer todos os participantes nessa corrida pela fusão nuclear, veja a reportagem:

Bibliografia:

Artigo: Penetrating radiography of imploding and stagnating beryllium liners on the Z accelerator
Autores: R. D. McBride, S. A. Slutz, C. A. Jennings, D. B. Sinars, M. E. Cuneo, M. C. Herrmann, R. W. Lemke, M. R. Martin, R. A. Vesey, K. J. Peterson, A. B. Sefkow, C. Nakhleh, B. E. Blue, K. Killebrew, D. Schroen, T. J. Rogers, A. Laspe, M. R. Lopez, I. C. Smith, B. W. Atherton, M. Savage, W. A. Stygar, J. L. Porter
Revista: Physical Review Letters
Vol.: Accepted Paper


Outras notícias sobre:
  • Fontes Alternativas de Energia
  • Magnetismo
  • Raios Laser
  • Radiação Eletromagnética

Mais tópicos