Plantão

Universidade Livre de Berlim inaugura escritório em São Paulo

A Universidade Livre de Berlim (Freie Universität Berlin) inaugurou um escritório de representação da instituição em São Paulo. A solenidade de abertura foi realizada no domingo (24/10), no Instituto Goethe da capital paulista.

O Escritório Regional da FU Berlim no Brasil, atualmente em fase de construção, será abrigado no Centro Alemão de Inovação e Ciência (DWIH, da sigla em alemão), inaugurado em abril de 2009.

Países estratégicos

A criação dos Centros Alemães de Inovação e Ciência em países estratégicos é uma iniciativa do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério de Educação e Pesquisa da Alemanha com o intuito de apoiar a integração de seus cientistas às redes internacionais de pesquisa.

De acordo com Claudio Struck, diretor do escritório brasileiro, a ideia é incentivar a cooperação científica entre a Alemanha e a América Latina, com foco principal no Brasil.

"A escolha do Brasil se deu porque o país vem crescendo em importância global em vários aspectos, com destaque para a área científica. O escritório tem a finalidade de atrair estudantes de graduação e pesquisadores do país para a FU Berlim, facilitar a colaboração científica e desenvolver instrumentos adequados de cooperação para o intercâmbio acadêmico", disse Struck.

A Universidade Livre de Berlim mantém escritórios em cidades como Nova Iorque (Estados Unidos), Pequim (China), Nova Déli (Índia), Moscou (Rússia), Bruxelas (Bélgica) e Cairo (Egito). Segundo Struck, o intercâmbio pretende também qualificar a universidade alemã ao atrair pesquisadores de alto nível.

"Temos alguns convênios com a Universidade de São Paulo para estudantes de graduação e queremos ampliar para outras universidades paulistas, como a Universidade Estadual de Campinas e Universidade Estadual Paulista, entre outras", disse.

Áreas estratégicas

Segundo ele, as áreas estratégicas a serem exploradas dependem de cada país, mas, em geral, os escritórios são abertos a todas as áreas de excelência das universidades. No Brasil, afirma, existe por parte da universidade alemã um interesse pelas áreas ligadas às humanidades, em particular às ciências sociais e cultura.

"Temos na Universidade Livre de Berlim um Instituto de Estudos Latino-Americanos que é o mais importante na Alemanha. Trata-se de um projeto interdisciplinar com a participação de vários institutos e departamentos da universidade com foco no Brasil e América Latina", explicou.

De acordo com Struck, há também interesse em explorar temas ligados à biodiversidade. "Em Berlim, temos um centro de pesquisa em plantas e a cooperação com o Brasil nessa área pode nos ajudar muito. Temos interesse também nas áreas de química e biotecnologia", indicou.

Universidades alemãs

Na Alemanha, há mais de 370 institutos de educação superior, sendo 110 universidades, 189 universidades de ciências aplicadas, 51 faculdades de humanidades, 30 faculdades de administração pública, 14 faculdades de teologia e seis faculdades de educação. A maior parte dos institutos de educação superior são públicos.

Em Berlim, há três grandes universidades. A Universidade Livre é a maior delas e suas áreas estão concentradas em humanidades, ciências sociais e em saúde e ciências naturais. A Universidade Técnica (Technische Universität) oferece cursos de engenharia e arquitetura e a Humboldt Universität atua em ciências humanas, ciências sociais e medicina.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas