Eletrônica

O fim dos caixas de supermercado

Pesquisadores da Universidade do Arizona (Estados Unidos) descobriram uma técnica que poderá acabar com uma das mais entediantes tarefas das donas de casa. Embora a compra no supermercado possa ser algo divertido, tirar tudo do carrinho para colocar sobre a esteira do caixa e depois colocar tudo de volta (e o pacote de arroz insiste em sempre ficar sobre os ovos e os pães) não é exatamente divertido.

Pesquisadores do Centro de Ciências Óticas desenvolveram uma etiqueta que "fala" com o caixa automaticamente, através de ondas de rádio. Basta que o cliente se aproxime do caixa para que todos os bens no carrinho sejam computados e seja-lhe apresentada a conta, sem a necessidade de sequer tocar nas mercadorias.

As novas etiquetas baseiam-se no desenvolvimento de semicondutores orgânicos, depositados sobre finas fitas de plástico. As camadas de semicondutores, ou seja, o circuito propriamente dito, tem espessuras entre 10 e 100 nanômetros. É possível ainda a deposição de multi-camadas, o que permite a construção de circuitos complexos em áreas extremamente pequenas.

Atualmente, 1 centímetro quadrado de substrato de silício, no qual são construídos os chips tradicionais, custam cerca de 1 dólar. Os semicondutores orgânicos, por sua vez, depositados sobre substratos de plástico, custam cerca de 1 centavo por centímetro quadrado. Esse baixo custo poderá ser determinante para que a etiqueta com transmissor seja largamente aceita pelo mercado.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas