Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Vencedores do Prêmio FINEP de Inovação Tecnológica

Redação do Site Inovação Tecnológica - 03/11/2003


Em solenidade no Palácio do Planalto com a presença do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram anunciados os cinco vencedores da etapa nacional do Prêmio FINEP de Inovação Tecnológica, que teve 22 finalistas escolhidos entre 335 inscritos de todo o país. Os escolhidos foram Eberle (RS), Sabó (SP), Polymar (CE), Smar (SP) e Lactec - Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (PR).

Além dos troféus e de um selo de inovação tecnológica - novidade lançada durante o evento - os vencedores receberam duas bolsas de estudos do CNPq e, no caso da Pequena Empresa, um laptop oferecido pelo Sebrae Nacional, parceiro do Prêmio. As empresas que se classificaram em segundo lugar nas cinco categorias do Prêmio receberam uma menção honrosa.


Categoria Produto


1º Lugar : Eberle (RS)

Desenvolveu uma motobomba silenciosa, com apenas cinco decibéis de ruído acima do som ambiente. As mudanças simplificam e eliminam diversos componentes utilizados em modelos tradicionais. Ao todo, são três modelos destinados a hidromassagem, residências, circulação de água limpa e pressurização de sistemas. A nova motobomba é muito mais segura e resistente a corrosão. Por ser refrigerada a água e não a ar, caso das convencionais, pode ser instalada em ambientes desprovidos de ventilação. Outra vantagem é que a água liberada pela nova motobomba já vem aquecida, o que reduz gastos com aquecedores. Totalmente segura, dispõe de mecanismos de isolamento elétrico que impedem o contato dos fios com a água. Com design moderno, que a torna muito mais compacta, pesa 50% menos que as demais e é fácil de ser montada, devido à menor quantidade de peças.

O novo produto, que consumiu investimentos de R$ 7 milhões, possui 10 registros de patentes no Brasil, Austrália, Argentina, Canadá, Europa e Estados Unidos. Já em 2003, primeiro ano de sua comercialização, a Eberle prevê recuperar o investimento com um lucro de R$ 8 milhões apenas no mercado nacional. A estimativa é faturar mais R$ 20 milhões por ano com o mercado americano.


2º Lugar: Clorovale Diamantes (SP)


Categoria Processo


1º Lugar: Grupo Sabó (SP)

A Sabó existe desde 1942 e atua no setor de autopeças, contando com mais de três mil funcionários. A empresa é hoje uma das maiores fornecedoras de sistemas de vedação para a indústria automobilística mundial. O processo premiado é pioneiro internacionalmente. Trata-se de uma tecnologia de tratamento superficial de discos de PTFE por meio de plasma, que é um gás ionizado. Os discos de PTFE são anéis de resina antiaderente usados na fabricação de autopeças. O tratamento por plasma substitui o antigo processo químico, que utiliza sódio metálico e naftaleno como principais ingredientes. A Sabó teve o apoio de uma universidade alemã para desenvolver a nova técnica. Hoje, nenhum outro fabricante de autopeças possui um processo tão eficiente, ambientalmente correto e economicamente viável para tratamento de anéis de PTFE como a Sabó.

As principais vantagens do processo desenvolvido são: baixo custo, não gerar resíduo ou odor, operação automática em uma única fase, demandar pequena área para instalação da câmara, uniformidade no processo e um ganho de cerca de 10,4% no custo da matéria-prima em relação ao processo químico. Este, ao contrário do processo por plasma, tem alto custo devido às matérias-primas caras, gera grande quantidade de resíduo e odor desagradável, tem operação manual e acontece em quatro fases, a instalação dos tanques demanda uma grande área e o processo não tem uniformidade.


2º Lugar: Embrapa Amazônia Oriental (PA)


Categoria Pequena Empresa


1º Lugar: Polymar (CE)

Esta empresa, que atua no setor de alimentos funcionais, nutracêuticos e suplementos alimentares, tem 80% de seu faturamento baseados em produtos lançados há menos de três anos. Também possui nove patentes registradas no INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial. No ano passado, a Polymar investiu 12% de seu faturamento em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), percentual acima da média para pequenas empresas de seu setor de atuação. Com um total de 26 funcionários, oito estão alocados na área de P&D. Além disso, a empresa trabalha em parceria com a Universidade Federal do Ceará, a Petrobras e a Embrapa.


2º Lugar: Pipeway Engenharia (RJ)


Categoria Grande empresa


1º Lugar: Smar (SP)

Fundada em 1974 com apenas três funcionários, para prestar assistência técnica em turbinas a vapor da indústria açucareira brasileira, a SMAR é hoje pioneira e líder mundial em sistemas que usam a tecnologia Foundation Fieldbus, com mais de cem representantes em 77 países.

A SMAR tornou-se o maior fabricante de instrumentos para controle de processos no Brasil. Atualmente, mais de um terço de sua produção é vendido no mercado internacional. A empresa investe 6,15% de seu faturamento em P&D, um índice bem superior ao das empresas com características similares, que é 3,81%. Entre seus 1.060 funcionários, 16,8% trabalham em Pesquisa e Desenvolvimento, indicador que também está acima da média do mercado, que é 3,89%. A SMAR possui oito patentes concedidas nos Estados Unidos e mais 35 em andamento e 10% de seu faturamento é proveniente de produtos lançados há menos de três anos.


2º Lugar: Tigre (SC)


Categoria Instituição de Pesquisa


1º Lugar: Lactec - Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (PR)

Fundado em 1959, o Instituto presta serviços tecnológicos e de capacitação de pessoal. Suas atividades de pesquisa e desenvolvimento abrangem principalmente as áreas de energia (eletricidade, petróleo e gás) e indústrias em geral, com foco maior nos setores de eletroeletrônica e automobilístico. Com 538 funcionários, 138 de nível superior, o Instituto contabilizou no ano passado 342 trabalhos, entre processos, produtos, técnicas e metodologias. Desses, apenas um foi adaptação de tecnologia já existente. Todos os demais foram desenvolvimento próprio.

Entre os projetos mais importantes estão um sistema eletrônico para controle das inspeções de equipamentos em usinas e subestações de energia elétrica; uma tecnologia inédita de diagnóstico capaz de prever possíveis degradações de estruturas de concreto; e um sistema de segurança contra rompimento de cabos condutores em linhas de distribuição. Com 12 pedidos de patentes, sendo um deles no exterior, o Lactec faturou, em 2002, R$ 56,7 milhões com contratos de transferência de tecnologia, assistências técnica e científica e exploração de patentes. As concessionárias de energia elétrica de todo o Brasil figuram entre seus principais clientes.


2º Lugar: Embrapa Algodão (MT)







Outras notícias sobre:
  • Inovação nas Empresas
  • Investimentos

Mais tópicos