Plantão

Alemanha busca soluções em tecnologia no Brasil

Ano Brasil-Alemanha

As comemorações do Ano Brasil-Alemanha da Ciência, Tecnologia e Inovação 2010-2011 começaram nesta segunda-feira (12), em São Paulo, com um seminário no qual se debateu sobre o Sistema Brasileiro de Inovação e as Perspectivas da Diplomacia da Inovação Brasil - Alemanha.

O Ano Brasil-Alemanha objetiva intensificar a cooperação científica e tecnológica, com especial ênfase na promoção da inovação e do desenvolvimento sustentável, assim como divulgar o potencial dos dois países como locais propícios para a inovação.

Importância da inovação

Para Ronaldo Mota, secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Seped), a Alemanha e o Brasil são sociedades modernas e complexas, embora com diferenças e peculiaridades. No entanto, ambas as sociedades têm em comum o reconhecimento da importância do tema inovação.

"Os dois países sabem que despertar cada vez mais inovação significa deixar fluir sociedades inovadoras, criativas, múltiplas e tolerantes, as quais estimulem um número cada vez maior de empresas inovadoras. Reafirmam também que sem produção de conhecimento básico de qualidade não há como enfrentar os desafios contemporâneos", disse.

Ele acrescenta que há em curso boas e significativas experiências entre Brasil e Alemanha. "Este ano elas serão fortalecidas e novas iniciativas serão estimuladas e consolidadas", disse.

Interesse da Alemanha pelo Brasil

O interesse declarado da Alemanha no maior país da América Latina, segundo o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto, deve-se também aos efeitos pós-recessão: no contexto internacional, o Brasil está entre os três países que melhor saíram da crise mundial.

"Sabemos das dificuldades por que passa a economia europeia de um modo geral e das oportunidades de investimento que existem no Brasil. Agora vamos ter não só o Programa de Aceleração do Crescimento com suas grandes dimensões, mas os eventos esportivos, que também são eventos econômicos", avalia Guimarães.

Na parte da tarde, o debate foi em torno do Sistema de Pesquisa e Inovação sobre Sustentabilidade na Alemanha e no Brasil, Perspectivas para a Cooperação Bilateral. Participaram das discussões o professor e secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Luiz Antônio Barreto de Castro, e o professor Uerich Schürr, diretor do Instituto Fitosfera do Centro de Pesquisa Jülich (FZJ).

Escola de engenharia

Na cerimônia de abertura do Ano Brasil-Alemanha da Ciência, Tecnologia e Inovação foi assinado ainda um acordo de cooperação tecnológica entre os presidentes da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e da Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha (VDI-Brasil).

O objetivo é a criação de uma Instituição de Ensino Superior (IES), pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp) para a troca de conhecimentos e experiências entre o Brasil e a Alemanha.

A assinatura teve a presença do ministro de Ciência e Tecnologia (MCT), Sergio Rezende, e da ministra alemã de Educação e Pesquisa, Annette Schavan. "Um dos pontos fortes da cooperação Brasil-Alemanha é o interesse dos engenheiros brasileiros. Por isso, é muito importante que essas entidades que estejam engajadas nessa iniciativa. Estou muito satisfeito com a proposta e a engenharia nacional tem muito a ganhar com essa cooperação", enfatizou Rezende.

Para a ministra Schavan, a parceria atenderá uma das principais preocupações da Alemanha que é a formação de mais engenheiros para combater o déficit nos dois países e garantir mão de obra qualificada para o desenvolvimento.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas