Espaço

Big Bang pode ter originado AntiUniverso, onde tudo funciona ao contrário

Big Bang pode ter originado AntiUniverso, onde tudo funciona ao contrário
Será que existe um "anti-você" no anti-universo? [Imagem: L. Boyle/Perimeter Institute for Theoretical Physics]

AntiUniverso

De um certo ponto de vista, o nosso Universo parece desequilibrado.

O tempo avança à medida que o espaço se expande e há mais matéria do que antimatéria.

Isso parece razoável, mas o problema é que isso viola uma simetria fundamental, chamada simetria CPT, que diz que a física não muda quando o tempo, o espaço e a matéria-antimatéria são todos invertidos.

Para equilibrar o cosmos, devemos então considerar que o Big Bang também tenha sido o ponto de partida de um antiuniverso, onde o tempo corre na direção oposta e a antimatéria domina.

Esta é a proposta de Latham Boyle, Kieran Finn e Neil Turok, do Instituto Perímetro de Física Teórica, no Canadá.

Eles embasam seu argumento em cálculos que mostram que esse modelo CPT-simétrico não apenas é consistente com o histórico conhecido de expansão cósmica, como também fornece uma explicação direta para a matéria escura.

Big Bang pode ter originado AntiUniverso, onde tudo funciona ao contrário
As várias teorias alternativas ao Big Bang tem levado alguns cientistas a se perguntarem se o Big Bang é ciência ou dogma científico. [Imagem: Cortesia www.grandunificationtheory.com]

Simetria contra inflação

O modelo simétrico CPT é uma alternativa à inflação, que pressupõe que o Universo passou por uma breve época de crescimento exponencial logo após o Big Bang. Essa rápida expansão pode explicar certas observações cosmológicas, mas requer a existência de campos quânticos adicionais, ainda hipotéticos.

Boyle e seus colegas demonstraram que sua proposta pode explicar a evolução cósmica inicial sem inventar uma nova física para explicar esses campos desconhecidos.

No modelo CPT-simétrico, o tempo e o espaço fluem continuamente desde o Big Bang, e o antiuniverso que emerge na direção negativa do tempo se comporta como um reflexo espelhado do nosso Universo.

A equipe ainda precisa mostrar se esse modelo pode reproduzir as observações cosmológicas que o cenário da inflação explica, como a uniformidade do cosmos em grandes escalas.

Contudo, o novo modelo dá uma explicação natural para a matéria escura: Um Universo CPT-simétrico produziria um grande número de neutrinos estéreis muito massivos. Esses neutrinos superpesados também podem ser a fonte de chuvas cósmicas de alta energia observadas recentemente.

Bibliografia:

CPT-Symmetric Universe
Latham Boyle, Kieran Finn, Neil Turok
Physical Review Letters
Vol.: 121, 251301doi
DOI: 10.1103/PhysRevLett.121.251301




Outras notícias sobre:

    Mais Temas