Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Energia

Biobateria produz eletricidade limpa por dias

Redação do Site Inovação Tecnológica - 17/06/2019

Biobateria produz eletricidade por dias para a internet das coisas
Simples, pequena e eficiente, a biobateria é ideal para a "internet das coisas descartáveis".
[Imagem: Sean Choi]

Biobateria ou biocélula?

As baterias microbianas têm estado por aí há algum tempo, mas a emergência da internet das coisas pode fazê-las voltar às manchetes.

A boa notícia é que a tecnologia das biobaterias não está parada, o que as tem tornado mais baratas e mais eficientes.

"Essa nova técnica, construída na forma de um pacote pequeno, compacto e descartável, a um preço baixo, pode conectar as coisas de maneira barata para que funcionem por um período programado e depois serem prontamente descartadas," disse o professor Seokheun Choi, da Universidade Binghamton, nos Estados Unidos.

Na verdade, a nova biobateria está em um meio-termo entre uma bateria e uma célula a combustível microbiana - uma bateria bio-híbrida seria um bom nome.

A equipe já havia desenvolvido biobaterias de papel e células a combustível microbianas de pleno direito.

"A biobateria que desenvolvemos desta vez é uma espécie de técnica combinada dessas duas; a duração da potência foi significativamente aumentada usando-se compartimentos de estado sólido, mas o dispositivo é uma forma de bateria sem sistemas complicados de alimentação de fluidos que consomem muita energia e que as típicas células de combustível microbianas exigem," disse Choi.

Em outras palavras, a equipe conseguiu se livrar da parte mais complexa do sistema.

"Nós convertemos de forma revolucionária o anólito líquido, a ponte de sal e o compartimento catódico em contrapartes sólidas, aumentando suas densidades e possibilitando suas reações lentas e contínuas. Além disso, os componentes de fase sólida tornarão o dispositivo favorável para a miniaturização, integração e operação com as aplicações de internet das coisas de estado sólido," escreveu a equipe.

A micro-biobateria híbrida produziu uma densidade de potência máxima de 4 µW/cm2 (0,3 mW/cm3) e uma densidade de corrente de 45 µA/cm2 (0,37 mA/cm3) depois de 96 horas de operação, enquanto a versão anterior, mais complexa e baseada em líquidos, parou de gerar energia depois de 4 horas.

Bibliografia:

Artigo: A solid phase bacteria-powered biobattery for low-power, low-cost, internet of Disposable Things
Autores: Maedeh Mohammadifar, Seokheun Choi
Revista: Journal of Power Sources
Vol.: 429, Pages 105-110
DOI: 10.1016/j.jpowsour.2019.05.009






Outras notícias sobre:
  • Baterias
  • Células a Combustível
  • Equipamentos Eletrônicos
  • Fontes Alternativas de Energia

Mais tópicos