Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Mecânica

Garra sem partes móveis tem adesão ajustável

Redação do Site Inovação Tecnológica - 22/06/2015

Garra sem partes móveis tem adesão ajustável
O adesivo seco - aqui levantando uma placa de vidro - funciona mesmo quando miniaturizado à escala de micrômetros.
[Imagem: University of Pennsylvania]

Adesivo ajustável

Transformar-se em uma espécie de Homem-Aranha ou fazer robôs que sobem pelas paredes são aplicações interessantes para os adesivos secos, inspirados nas patas das lagartixas.

Mas, de um ponto de vista tecnológico, há possibilidades mais promissoras na indústria, onde peças de todos os tamanhos precisam ser levantadas e transportadas o tempo todo.

Helen Minsky e Kevin Turner, da Universidade da Pensilvânia, decidiram dar ao seu trabalho esse viés mais prático, onde garras e mãos, robóticas e humanas, nem sempre são as ferramentas mais adequadas.

A dupla criou uma pequena "garra" sem qualquer parte móvel, mas com uma capacidade de "adesão ajustável", o que significa que a força com que a haste segura a peça pode ser variada, de fraca até muito forte, tudo com apenas um leve movimento lateral.

Assim, o material pode ser usado para segurar peças de vários tamanhos e pesos, e pode soltar cada um deles delicadamente, aliviando o poder de agarramento de forma contínua.

Forças de van der Waals

Assim como os pés das lagartixas dependem de minúsculas cerdas para segurar o animal todo, a dupla está trabalhando com garras muito pequenas, com apenas alguns milímetros quadrados, que poderão ser postos para trabalhar em conjunto, de acordo com o peso da peça a ser erguida.

Contudo, mesmo nestas dimensões experimentais, as garras adesivas já estão prontas para trabalhar com peças pequenas e sensíveis, como bolachas de silício na indústria eletrônica ou peças de vidro.

Embora outras equipes já tenham demonstrado protótipos com características semelhantes, a dupla inovou ao desenvolver uma técnica de fabricação muito simples, com uma superfície repleta de nanocilindros com um núcleo de plástico e um revestimento externo de silicone. São esses cilindros que agarram as peças, por meio das forças de van der Waals.

"Nossa visão é que essa estrutura de postes compósitos é um bloco de construção fundamental para viabilizar grandes superfícies adesivas com propriedades ajustáveis," disse Turner.

Bibliografia:

Artigo: Achieving enhanced and tunable adhesion via composite posts
Autores: Helen K. Minsky, Kevin T. Turner
Revista: Applied Physics Letters
Vol.: 106, 201604
Link: 10.1063/1.4921423






Outras notícias sobre:
  • Adesivos
  • Robôs Industriais
  • Processos Industriais
  • Robôs

Mais tópicos