Plantão

Seminário internacional discutirá impactos da nanotecnologia

Seminário internacional discutirá impactos da nanotecnologia
Organizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o evento seguirá a tradição dos seminários da Rede de Pesquisa em Nanotecnologia, Sociedade e Meio Ambiente (Renanosoma).[Imagem: Divulgação]

Discutindo a nanotecnologia

De 10 a 12 de novembro a cidade do Rio de Janeiro receberá cientistas, professores, estudantes, políticos, membros de órgãos governamentais e o público em geral para discutir a crescente relevância que as nanotecnologias têm assumido na esfera produtiva, sobretudo na área de saúde.

O 7º Seminário Internacional de Nanotecnologia, Sociedade e Meio Ambiente, que acontecerá no Hotel Sofitel, será dividido em quatro eixos: produtos e usos das nanotecnologias, em especial no setor saúde; efeitos e impactos potenciais das nanotecnologias à saúde e ao ambiente; nanotecnologias, convergência tecnológica e sociedade; e regulação de nanotecnologias.

Organizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o evento seguirá a tradição dos seminários da Rede de Pesquisa em Nanotecnologia, Sociedade e Meio Ambiente (Renanosoma).

Nanotoxicologia

No primeiro dia serão apresentados a Iniciativa Nacional de Nanotecnologia dos Estados Unidos e o Fórum Brasileiro de Competitividade em Nanotecnologia, além de oportunidades de negócio para pequenas e médias empresas.

Também serão discutidas as aplicações da nanotecnologia na saúde, tanto os usos atuais quanto aqueles esperados para um futuro próximo, dentro de dez a 15 anos. Isso inclui, por exemplo, sensores para prevenção de doenças e sistemas de diagnóstico molecular. Outros destaques serão experiências na área de cosméticos e alimentos.

No segundo dia estará em pauta a nanotoxicologia, que trata das possíveis consequências nocivas dos nanomateriais à saúde e ao ambiente, os métodos para medi-las e as normas para preveni-las. Toxicidade pulmonar, perigos para a pele e riscos para o ambiente aquático estão entre os temas que serão abordados.

Haverá, ainda, uma mesa redonda sobre as questões éticas ligadas à nanotecnologia, na qual serão apresentadas reflexões sobre o risco do entusiasmo ilimitado acerca de tecnologias emergentes.

No terceiro e último dia, a discussão será voltada à regulação das nanotecnologias, tanto no contexto brasileiro, com destaque para o papel do Congresso Nacional e do Inmetro, quanto no âmbito internacional, o que envolve questões de governança global. Os desafios da formação em nanotecnologia, na graduação e na pós-graduação, também serão colocados em debate.

Nanotecnologias: o que você tem a ver com isso?

O público ainda conhece pouco as nanotecnologias, embora elas já estejam presentes em, pelo menos, 800 produtos de consumo em todo o mundo, como cosméticos, tecidos e aparelhos eletrônicos.

As nanotecnologias desafiam o imaginário, pois trabalham com estruturas que têm somente algumas dezenas ou centenas de bilionésimos de metro.

Entretanto, as nanotecnologias não são apenas uma redução de escala: materiais em dimensões tão pequenas apresentam propriedades diferenciadas. Por um lado, tais propriedades podem ser exploradas para o desenvolvimento de produtos inovadores, como medicamentos e supercomputadores; por outro, podem causar reações prejudiciais à saúde e ao ambiente, assim como suscitar dilemas éticos.

O grande objetivo do evento é justamente debater o tema, ampliando o conhecimento da sociedade sobre o assunto e permitindo que os próprios pesquisadores discutam o alcance dos seus trabalhos.

"Esse é um campo que merece transparência e uma discussão bem aprofundada. É preciso ampliar o debate sobre a regulação desses produtos, sobre o que já existe no mercado e o que teremos para daqui a dez ou quinze anos", afirma William Waissmann, da ENSP/Fiocruz e membro da comissão organizadora do evento.

Cursos de nanotecnologia

Outro aspecto que deve ser explorado nos debates do seminário é a formação de recursos humanos para lidar com "o universo da bilionésima parte do metro".

"Cursos de pós-graduações e mesmo graduações inteiras dedicam-se hoje ao tema. Também é importante que a população participe efetivamente do debate, pois a nanotecnologia está inserida na área de biotecnologia na produção de fármacos, quimioterápicos e outros medicamentos.

"Ela tem se mostrado, também, de forma bastante importante, na produção de vacinas e biossensores, fora sua utilização na alimentação, na agricultura, na parte elétrica e nos diversos ramos industriais, como na cosmética. É preciso que as formas de utilização e os potenciais impactos sejam de conhecimento da população," afirma Waissmann.

Trabalhos e inscrições

Os interessados em apresentar trabalhos durante o evento têm até o dia 10 de outubro para enviar os resumos.

Os trabalhos devem abordar um dos seguintes temas: produtos e usos das nanotecnologias, em especial no setor saúde; efeitos e impactos potenciais das nanotecnologias na saúde e no ambiente; nanotecnologias, convergência tecnológica e sociedade; e regulação de nanotecnologias.

Os resumos aprovados pela comissão científica do seminário serão apresentados sob a forma de pôster. Além dos pôsteres, a programação do evento inclui uma série de conferências, mesas redondas e debates com convidados nacionais e internacionais.

A inscrição e o envio de resumos devem ser feitos por meio de formulários eletrônicos disponíveis no site www.nanoseminar.com.br.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas